Política

OS LUXOS DE PEZÃO E A PENÚRIA NO RJ

Enquanto servidores passam fome, Pezão quer andar de Jatinho com R$2,5 milhões ao ano

Enquanto a penúria da UERJ, dos servidores e dos aposentados se vê cada vez mais evidente dia após dia, com 3 meses de salários atrasados, Pezão faz licitação para utilizar jato de luxo, no valor 2,5 milhões por ano.

sexta-feira 11 de agosto| Edição do dia

O governador Luiz Fernando Pezão, que deve 4 meses de salários atrasados (o décimo-terceiro, maio, junho e julho e o de agosto a partir do dia 14) de milhares de servidores vai bancar um jatinho no valor de R$ 2,5 milhões para viagens oficiais durante um ano.

Segundo o Jornal O Globo, seriam possíveis serem feitas 91 viagens por mes com a quanita investida no avião particular, isso daria em torno de 1094 passagens por ano, considerando o valor mais caro de passagem, entre R$2 mil e R$2,2 mil reais.

A empresa vencedora, a, além de pedir comporte de ao menos 6 passageiros em "assentos com poltronas giratórias, banheiro e autonomia para permanecer três horas e meia em voo." Além de todas essas regalias a empresa deverá garantir uma sala VIP para o uso do governador no aeroporto.

A forma como o governador mantem suas regalias a custo de milhares de servidores, aposentados, da penúria da educação publica, com o sucateamento da UERJ, sem bolsas, bandejão e salários e da FAETEC, cujos servidores recentemente entraram em greve, é de puro cinismo, enquanto gasta milhões em luxuosos voos em jatinhos a condições de vida dos trabalhadores e da juventude só decai.

O que o governo faz, que torna o Rio de Janeiro um balão de ensaio dos ataques que Temer quer implementar e vem fazendo a nível federal, com um pacote de austeridade profundo é revelador da submissão do estado aos grandes grupos econômicos, que querem que o povo pague por uma crise que eles próprios criaram.

O governo que há muito está protelando para pagar os salários, enquanto servidores e aposentados passam fome ontem realizou um leilão para a administração da folha de pagamento dos servidores públicos do estado do Rio. O Bradesco, banco que já realiza esse serviço, renovou o contrato sem nenhum concorrente interessado na disputa pelo valor de R$ 1,3 bilhão.

O governador esquece de dizer que esse valor seria suficiente apenas para pagar salários atrasados de maio e junho, ficando ainda pendentes os de julho e o décimo-terceiro que não foi pago a uma grande quantidade de servidores, é preciso unificarmos as pautas para resistirmos aos ataques dos capitalistas e de seus fantoches, os políticos, para isso vem a importância de mobilizar pela base nos locais de trabalho e estudo.




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    #UERJResiste   /    Crise no Rio de Janeiro   /    UERJ   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar