Política

CASTA POLÍTICA

Enquanto pobres apodrecem na prisão, Temer perdoa ex-prefeito acusado de pedofilia

Além da pena de 9 a 15 anos por pedofilia, ex prefeito também já havia sido preso por suspeita de corrupção.

quarta-feira 25 de janeiro| Edição do dia

Adail Pinheiro (PRP) ex-prefeito do município de Coari (AM) recebeu do presidente golpista Michel Temer o “perdão presidencial” – definido em decreto do ano de 2016 assinado pelo próprio presidente. O ex-prefeito Adail Pinheiro, acusado de chefiar uma quadrilha que explorava crianças e adolescentes de 9 a 15 anos, teve sua pena de 11 anos referentes ao crime de exploração de menores de idade extinta.

A decisão de extinção da pena foi tomada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) que a partir do parecer favorável do Ministério Público estadual concluiu que o ex-prefeito Adail Pinheiro se enquadrava nos quesitos do perdão presidencial. Mas o único verdadeiro critério que importou para Temer conceder este perdão foi o ex prefeito pertencer à casta política, e não ser parte dos milhares de negros e pobres encarcerados nas penitenciárias, a maioria presos sem julgamento.

O mesmo ex-prefeito já tem um histórico: havia sido preso por suspeita de desviar R$ 40 milhões dos cofres públicos (na Operação Vox da Polícia Federal). E agora, recebendo o perdão de Michel Temer após ser condenado por pedofilia, confirma que no país, a justiça só dura contra os pobres e negros. Desta forma, o golpista Michel Temer mostra como ele trata a sua classe política apadrinhada, da mesma forma como tratou seus ex ministros.

Provavelmente a prática de Temer de tentar salvar todos políticos corruptos, incluindo aqueles que nomeou ministro, e agora extinguindo uma pena de 9 a 11 anos por pedofilia, deva ser uma prática comum, um toma lá da cá. Quem sabe o que pode acontecer se for comprovado o esquema de corrupção a ser investigado com os crimes referentes a fraudes nos pagamentos de gráficas na chapa Dilma-Temer.

Leia mais: PF encontrou irregularidades em pagamentos da chapa Dilma-Temer

Para um governo golpista, que sustentou durante o golpe que o PT era o único responsável pela corrupção, absolver por decreto com o perdão presidencial políticos envolvidos em escândalos de pedofilia e exploração sexual de menores parece até uma piada de mal gosto. Mostra novamente que os golpistas só querem trocar um esquema de corrupção por outro. A classe política golpista mostra novamente sua face degenerada e suas relações espúrias com criminosos de tipos mais infame.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar