Sociedade

PORTO ALEGRE

Empresários do transporte querem passagem a R$ 5,20 em Porto Alegre

Redação Rio Grande do Sul

Redação Rio Grande do Sul

sexta-feira 24 de janeiro| Edição do dia

Empresários do transporte entraram com pedido de aumento de 50 centavos na passagem de ônibus da capital gaúcha, configurando um aumento de 11% na passagem tendo em vista que a atual tarifa é de R$ 4,70.

Os empresários alegam queda no número de passageiros, aumento do combustível e reajuste salarial dos rodoviários. Segundo o Seopa (Sindicato de Empresas de Ônibus de Porto Alegre), houve uma diminuição de 4,11% no número de passageiros no último ano.

Não bastasse a tarifa já abusiva de R$ 4,70, os empresários querem ainda mais para poder satisfazer seus lucros. O aumento de 11% na tarifa contrasta absurdamente com a inflação do mesmo período, que ficou em 4,31% em 2019, bem como com o aumento salarial dos rodoviários, negociado no primeiro semestre de 2019, que ficou em 4,48%. Ao longo do ano passado uma série de direitos no transporte público foram retirados, como a gratuidade na segunda passagem do trabalhador, a gratuidade para idosos entre 60 e 64 anos, bem como o aumento do tempo útil da frota.

Não é de hoje também que as empresas, junto com a prefeitura, cortam linhas dos usuários, precarizando ainda mais o já sucateado transporte público da capital. Não fosse a mobilização dos rodoviários no final do ano passado, a prefeitura de Marchezan e os empresários já tinham eliminado a obrigatoriedade do cargo de cobrador na capital, tornando o trabalho do motorista ainda mais extenuante e mais perigoso. Marchezan, que sempre governou em nome dos empresários do transporte, está avaliando o aumento e deve declarar em breve sua posição. Na última quinta-feira (23), afirmou à Zero Hora que vai apresentar proposta "inovadora e estruturante", palavras que escondem ataques aos direitos da população a fim de não aparecer tão mal em ano eleitoral.

Ou seja, uma série de elementos tornam esse pedido de R$ 5,20 absurdo. Os empresários buscam tão somente o aumento de seus lucros, tudo às custas dos trabalhadores rodoviários e da população que se utiliza do transporte. Ainda querem que a tarifa aumente no dia 1 de fevereiro, o quanto antes para impedir mobilizações dos estudantes contrárias ao aumento. Ao mesmo tempo, os empresários jogam a população contra os rodoviários ao dizer que deve-se aumentar a tarifa por conta do aumento salarial. Os rodoviários já são abusivamente explorados pela patronal e merecem condições melhores de trabalho das já existentes. Não são poucos os rodoviários que, movimentando a cidade, adoecem por conta das péssimas condições de trabalho.

É preciso repudiar esse aumento e barrá-lo nas ruas, estudantes, trabalhadores e os próprios rodoviários. Ano a ano os aumentos nas tarifas servem para o lucro do patrão. A fim de termos um transporte público decente, gratuito para estudantes, idosos e desempregados, e que sirva à população, os trabalhadores devem gerir o próprio transporte junto aos usuários, estatizar as empresas sob controle dos rodoviários e usuários e tirar das mãos da máfia dos transportes.




Tópicos relacionados

Precarização do Transporte Público   /    Marchezan   /    transporte público poa   /    Porto Alegre   /    Sociedade   /    Transporte

Comentários

Comentar