Mundo Operário

REFORMA TRABALHISTA

Empresa abre vagas para repositor em tempo integral com remuneração de R$ 546,00

Reforma Trabalhista já apresenta suas consequências aos trabalhadores, pagando menos que um salário mínimo e trabalhando em tempo integral.

quinta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Empresa, em Curitiba, admite repositor para tempo integral pagando menos que um salário mínimo (remuneração de R$ 546,00). Os trabalhadores irão atuar em redes de supermercados e ficarão focados no abastecimento de produtos.

Alguns desserviços prestados pelos meios de comunicação tradicionais em relação às atuais Reformas Trabalhistas levam um conformismo alicerçado na falta de discussão e de informação. Nesse caso, informação fiel a forma que essas reformas em questão irão atingir brutalmente os direitos dos trabalhadores.

Isso tudo é evidenciado por relatos e fotos de vagas de emprego (seja em mídias físicas de jornais ou classificados em mídias digitais) que são no mínimo uma ofensa a qualquer trabalhador que busca uma vaga. Temos muitos exemplos onde vemos cargas horárias completamente exploratórias com salários e “benefícios” (vale transporte e vale refeição) totalmente desproporcionais ao serviço desempenhado ou/e carga horária.

Se antes tínhamos uma CLT que em nada impedia os abusos dos patrões, agora temos um governo golpista que nos trás a uma realidade que dá legitimidade aos mais variados tipos de opressões a classe trabalhadora.

A ilusória ideia de uma gestão de trabalho discutida entre o opressor e o oprimido é no mínimo uma utopia criada com base na má fé do governo federal que está e sempre esteve a serviço dos empresários.
Empresários esses que são maioria na câmara, passando pela “Indústria da Fé” (representada pelos conservadores da bancada evangélica) até os Senhores dos latifúndios.

Enquanto a saída idealizada pela massa não for uma saída Revolucionária, ainda teremos que ver o sangue da nossa classe derramado não apenas nas vielas das favelas mas também nos postos de exploração, elegantemente chamados de postos de trabalho pelos capitalistas.

Não existe relação de trabalho que não seja conflituosa quando sobrevivemos uma perspectiva que vise apenas os desmandos dos senhores do capital.

Nem um trabalhador a menos, todos os direitos garantidos, seja nos campos ou nas fábricas, não podemos permitir que nosso papel na sociedade enquanto trabalhadores.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar