VIDAS NEGRAS IMPORTAM

Em todo o mundo massivos atos pelas vidas negras. O Brasil tem de estar na linha de frente da luta antirracista!

A filha de George Floyd declarou que seu pai mudou o mundo. Como vemos nessa explosão em todo o mundo contra a violência policial e pela vidas negras, de fato, a brutal morte de George desatou um profundo levante negro contra o racismo. O Brasil, maior país negro fora da África, tem de estar na linha de frente dessa luta.

sábado 6 de junho| Edição do dia

A revolta frente o escandaloso assassinato de George Floyd por um policial desatou não apenas a mobilização nos EUA, com verdadeiros levantes da juventude negra, mas também por todo o mundo milhões de pessoas saíram às ruas para gritar que Vidas Negras Importam!

Londres

Nessa sexta-feira (5), em Londres, dentre tantas palavras de ordem e consignas proferidas pelos manifestantes, um grande coro levantando “sem justiça, sem paz” foi feito nas primeiras horas de manifestação. Não só George Floyd foi homenageado, como também tantos outros mortos e vítimas da violência policial no Reino Unido.

Veja mais: Dezenas de milhares nas ruas de Londres contra o racismo e por justiça

Paris

Milhares de pessoas saíram hoje à rua em Paris para protestarem contra o racismo e a violência policial, mesmo apesar de a manifestação convocada na capital francesa não ter sido autorizada devido ao estado de urgência sanitária.

Berlim

Tunísia

Austrália

Seul

Em todo o mundo um só grito: Vidas Negras Importam!

A filha de George Floyd declarou que seu pai mudou o mundo. Como vemos nessa explosão em todo o mundo contra a violência policial e pela vidas negras, de fato, a morte de George desatou um profundo levante negro contra o racismo.

Esse amplo movimento reafirma a necessidade de no domingo, 07/06, aqui no Brasil protagonizarmos um enorme ato contra a racista violência policial, cobrando justiça por cada um de nossos mortos, João Pedro, João Vitor, Rodrigo Cerqueira, Juan Oliveira, e tantos outros.

O Brasil segundo maior país negro no mundo, último país a libertar seus negros escravizados, dono de uma das polícias mais assassinas do mundo precisa estar na linha de frente do combate contra o racismo. Em tempos de Bolsonaro no comando do Estado também é necessário que essa luta repudie de conjunto todo o reacionarismo e autoritarismo do presidente e sua cúpula de militares, o que faz que aqui a luta antirracista vá de mãos dadas com a luta antifascista.

Todos ao ato amanhã, pelas vidas negras! Por Fora Bolsonaro e Mourão! Basta de morrer pelas balas da polícia, pela COVID, pelo lucro dos capitalistas!




Tópicos relacionados

George Floyd   /    negras e negros   /    [email protected]   /    Internacional

Comentários

Comentar