Sociedade

TRAGÉDIA ANUNCIADA

Em Mauá, políticos preferiram receber 13º e férias ao invés de investir em moradia

terça-feira 2 de janeiro| Edição do dia

FOTO: Deslizamento de terra em Mauá, que resultou na morte de um garoto de 10 anos.

Em Mauá, mais uma tragédia anunciada ocorreu na virada do ano. Com a forte chuva, um desabamento de terra levou a vida de André, de 10 anos. Tudo isto poderia ter sido evitado, se o governo investisse em moradias para os trabalhadores e os mais pobres. Mas em Mauá, a preocupação dos políticos foi outra: em dezembro, os vereadores transformaram em lei municipal o pagamento do 13º e das férias, para vereadores, prefeito e vice-prefeito.

Já em dezembro de 2017, depois de votar o projeto às pressas, o prefeito Atila Jacomussi (PSB) e a vice-prefeita Alaíde Damo (PMDB), junto aos 23 vereadores custaram mais R$ 405 mil aos contribuintes, só naquele mês.

A decisão destes vereadores em priorizar os seus próprios bolsos, foi baseada em uma decisão do STF de janeiro de 2017, que liberou o recebimento do 13º e do adicional de férias para os políticos.

E é por causa dos conchavos entre juízes, empresários e políticos, que a população mais pobre não tem acesso a direitos básicos. Tendo que morar em barracos, tem sua mão-de-obra barateada para ser explorada pelos grandes capitalistas, no trabalho precário ou dentro das novas regras de exploração da reforma trabalhista.

Este é o tipo de ganância responsável esta e muitas outras tragédias, que não são "naturais", e sim fruto de um governo para os ricos.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    ABC paulista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar