Política

PRIVATIZAÇÃO

Eletrobrás vai demitir metade de seus trabalhadores e privatizar distribuidoras

A Eletrobrás, importante empresa estatal de energia, anunciou um corte de 50% dos funcionários e privatização de distribuidoras de energia do grupo alegando como motivo a crise.

quinta-feira 22 de junho| Edição do dia

Os gestores da empresa estatal de energia Eletrobrás anunciaram uma reestruturação para contenção de gastos, tendo como meta reduzir 30% das despesas. Dentre as medidas anunciadas está prevista a demissão de 11 mil dos 23 mil trabalhadores hoje funcionários da empresa, além da venda de imóveis administrativos e de distribuidoras de energia para o setor privado. Trata-se de uma privatização parcial da empresa.

Como parte do anúncio dos gestores já é possível ter a informação de que ainda neste ano 5 mil trabalhadores serão despedidos por planos de demissão voluntária e aposentadoria incentivada. Nas regiões Norte e Nordeste 6 mil trabalhadores estarão desempregados com a venda de seis distribuidoras controladas pela Eletrobrás que passarão para as mãos do setor privado até o final do ano.

Estas medidas são parte do plano neoliberal do governo federal de transferir verba e empresas públicas para grandes capitalistas através de privatizações, aprovação de reformas que retiram direitos trabalhistas, e manutenção do pagamento de juros da dívida pública destinada a bancos e grandes empresários, que hoje corrói quase metade de todo orçamento federal. Os trabalhadores da Eletrobrás que não possuem nenhuma responsabilidade pela crise pagarão por ela.

Neste cenário entra em questão quais devem ser as saídas políticas para esta crise que tanto afeta a vida dos trabalhadores, recomendamos o seguinte artigo de Fernando Pardal sobre este tema: Temer balança mas não cai: por que impor uma constituinte para derrubar ele e as reformas?




Tópicos relacionados

Eletrobrás   /    Demissões   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar