Sociedade

TRANSPORTE PÚBLICO DE SANTO ANDRÉ

Edital não irá aumentar frota de onibus enquanto população sofre com transporte precário

Edital de licitação do sistema de ônibus da Vila Luzita é marcado, e é certo que não terá aumento da frota para os trabalhadores e toda população da região.

quarta-feira 13 de junho| Edição do dia

Como já havíamos denunciado no Esquerda Diário anteriormente, o sócio majoritário da Suzantur, Claudinei Brogliato (ex-secretario adjunto de transportes), que opera - ou domina - o ramal da Vla Luzita em Santo André (e também a vizinha Mauá, além da cidade de São Carlos), que representa a maior demanda de passageiros da cidade, em acordo com o prefeito, Paulinho Serra, juntos, mostram que os ataques aos trabalhadores, estudantes e a toda população não tem limites: uma tarifa de R$4,40 que arrocha e complica o orçamento de qualquer trabalhador, que se soma a demora dos coletivos que causam super lotações, entre outros problemas.

Foi publicado segunda feira, 11/06, o edital que exige 82 ônibus, mesma quantidade operando de forma emergencial pela Suzantur nas 15 linhas, desde outubro de 2016, quando a Expresso Guarará, empresa que operava nesta região, decretou falência, este contrato emergencial com a Suzantur terminou em abril de 2017 e a gestão do prefeito do PSDB, como sempre perdida e demonstrando enorme descaso com a população e funcionários públicos da cidade, não fez estudos das linhas e o contrato com a Suzantur, além de emergencial, era totalmente precário, insuficientes e cheio de falhas. As empresas que já operam na cidade, não entraram nesta "fria", pois não foram feitos estudos, nem planos adequados para otimizar o transporte público de toda a cidade.

São 1, 086 milhão de pessoas que mensalmente circulam pelo sistema da Vla.Luzita, destes 792,3 mil são pagantes dos abusivos valores, alguns usuários que tem direito a gratuidade e os idosos que antes entravam pelas portas traseiras, pois são isentos de tarifas, hoje são submetidos a fazerem uma carteirinha especial do idoso e são obrigados a entrarem pela frente, pois assim todas as empresas que operam na cidade garantem os subsídios destas gratuidades, atualmente na cidade são 48 linhas, que transportam de forma desrespeitosa, com valores abusivos e extremamente precária, 4,82 milhões de passageiros.

Fato curioso nesta história obscura, é que Claudinei Brogliato (Suzantur) foi contratado como consultor da Expresso Guarará – empresa que administrava o sistema Vila Luzita - e esteve no cargo de novembro de 2015 até abril de 2016, se afastou e meses depois, a Expresso Guarará abre falência e ainda operando de forma mais do que precária com falta de manutenção adequada, atrasos, funcionários sem receber salários e sendo dispensados em acordos, em seguida a Suzantur de Claudinei entra em ação e se põe à disposição da PMSA, para prestar o serviço que antes era oferecido pela falida empresa Expresso Guarará.

Foram feitos estudos em 2017 ao custo de 1,25 milhão por 12 meses e mesmo assim nada foi resolvido pois licitações eram marcadas em audiências públicas, porém os estudos nunca eram concluídos e foi determinado um contrato precário e emergencial com a Suzantur, após muitos meses, estes estudos chegaram ao óbvio resultado, teria que se fazer reformulações em todas as 15 linhas, desde as alimentadoras, até as troncais e as mudanças nos ônibus, as sub estações de plataformas elevadas e à esquerda, uma reforma ampla e desnecessária no terminal da Vila Luzita.

Este demorado estudo concluiu que esta licitação fosse em Fevereiro último, passou para Março, Maio, sempre com desculpas sem sentido, como o locaute dos caminhoneiros, que segundo o departamentos financeiro e de transportes, desestruturou e inviabilizou as atividades econômicas, claro que esses atrasos beneficiaram a empresa que continuou operando de forma precária e tem enorme interesse em se manter da maneira que está, oferecendo pouco e lucrando muito nas costas dos trabalhadores e usuários em geral.

Paulinho Serra em entrevista numa rádio da cidade dia 05/06, afirmou que a licitação ia ser dia 07/06, mas somente dia 11/06 é que o edital foi publicado, enquanto isso a Suzantur continua operando e as desconfianças que ela será a única a fazer proposta de operar de forma legal nesta licitação, é eminente, pois até o momento empresas que já operam na cidade, como a União Santo André e outras, não demonstraram interesse até o momento.

A empresa que vencer a licitação terá 180 dias para assumir os serviços, prazo de 20 anos para explorar os trabalhadores e a PMSA com seus serviços ruins de transportes coletivos, a exploração comercial do terminal vla Luzita e no corredor da av Capitão Mario de Toledo, além dos vidros traseiros e interiores dos veículos. Existem exigências que a empresa terá que cumprir, como idade dos ônibus, ar condicionado, pisos baixos, painéis de informações de horários de partidas, wi-fi, assentos estofados, entre outras melhorias, mas isso somente o tempo mostrará o que será realmente feito para facilitar, dar conforto e segurança aos trabalhadores e usuários em geral, mas um item que deveria ser em prol do usuário e não será resolvido, além da diminuição das tarifas abusivas, é o aumento do número de ônibus nas linhas, que será mantido como é atualmente, com poucos ônibus e principalmente em horários específicos.

Defendemos que os trabalhadores e usuários sejam quem controle e administrem os transportes públicos, somente com a estatização dos meios de transportes e o não pagamento da dívida pública poderemos fazer com que o transporte publico esteja a serviço dos trabalhadores e da população, sem os acordos obscuros e corrupção praticada pelas empresas privadas e os governos, pois assim teremos melhores serviços de educação, saúde e transportes coletivos, melhorando as condições de trabalho dos motoristas e funcionários do transporte dando fim a exploração dos trabalhadores pelos capitalistas.

César Eduardo, usuário do tronco terminal vla Luzita/terminal Santo André e militante do MRT




Comentários

Comentar