Gênero e sexualidade

LUTADORAS

Edições ISKRA apresenta: Lutadoras - Histórias de mulheres que fizeram história

A segunda edição do livro já está disponível ao público na livraria Casa Marx, em São Paulo, e logo estará disponível em outros estados.

sexta-feira 4 de maio| Edição do dia

Já está disponível a segunda edição ampliada de "Lutadoras - Histórias de mulheres que fizeram história", nova publicação da Coleção Iskra Mulher, organizada por Diana Assunção e Andrea D’Atri. "Lutadoras" vem a público logo após o Primeiro de Maio, data histórica de luta da classe trabalhadora, apresentando a história de grandes mulheres que foram fundamentais para as lutas femininas e anticapitalistas.

Diferente do que dizem os livros de história capitalistas, onde as mulheres aparecem como coadjuvantes dispensáveis, esposas e mães, neste livro, impulsionado pelo Grupo Internacional de Mulheres Pão e Rosas, é o papel dirigente das mulheres ao longo da história que ganha destaque.

São mulheres que estiveram à frente de grandes movimentos, que lutaram contra a opressão machista e também contra os desmandos dos patrões, tomando em suas mãos as demandas de oprimidos e explorados.

Ao longo dos seis capítulos do livro, mulheres de diferentes épocas e países são retratadas. Em "Pioneiras", trazemos Flora Tristán, defensora de uma organização proletária internacional, cujos escritos foram reivindicados por Marx e Engels, e Louise Michel, grande combatente da Comuna de Paris.

O segundo capítulo, "Internacionalistas", nos traz a história da maior das dirigentes revolucionárias: Rosa Luxemburgo, que travou duras lutas políticas dentro da social-democracia alemã sem nunca abaixar a cabeça. Clara Zetkin, responsável por cunhar o 8 de março como dia de luta das mulheres, e Sylvia Pankhurst, sufragista que defendeu uma perspectiva de classe dentro do movimento feminista da época contra a guerra, também integram este capítulo - o artigo sobre Sylvia é uma das novidades desta edição.

Desbravando a América Latina, o terceiro capítulo, "Rebeldes", conta a história de Lucrecia Toriz, operária têxtil mexicana, e Carmela Jeria, operária tipógrafa chilena.

O quarto capítulo, "Combativas", apresenta a história de Marvel Scholl e Clara Dunne, importantes personagens da greve de caminhoneiros em Minneapolis em 1934, e Genora Johnson Dollinger, da ala esquerda do Partido Socialista americano e protagonista da grande greve da General Motors. Ainda nos Estados Unidos, trazemos nesta segunda edição novos artigos sobre Lucy Parsons e Rosa Parks, grande nome da luta pelos direitos civis, que se tornou um símbolo da luta antirracista ao se recusar a se levantar para ceder seu lugar no ônibus a um homem branco.

No quinto capítulo, "Vermelhas", retomamos a história das mulheres revolucionárias. Da Revolução Russa, trazemos Natália Sedova, da Oposição de Esquerda, e novos artigos sobre Alexandra Kollontai, uma das principais dirigentes bolcheviques, e Larissa Reisner, comissária do Exército Vermelho. Da Revolução Espanhola, a argentina Mika Etchebéhère, comandante de milícias operárias do POUM. Da Oposição de Esquerda chinesa, Chen Bilan, uma das grandes bolcheviques.

O sexto capítulo, "Indomáveis", traz histórias de mulheres que "não se inclinaram diante dos fatos consumados", mesmo diante de intensas perseguições. Nadezhda Joffe, Edith Bone e a brasileira Pagu fecham o livro.

Novos anexos compõem esta segunda edição. Uma análise do ascenso operário das décadas de 1970 e 1980 no Brasil a partir de um recorte feminino é apresentado aos leitores pelas palavras de Flávia Valle e Maíra Machado. Odete Cristina e Jennifer Tristán nos trazem a luta das mulheres quilombolas contra a escravidão, retomando Dandara, Luiza Mahin e Aqualtune. A nova edição traz ainda um novo prólogo de Diana Assunção, apresentação de Luciana Boiteux e orelha de Myriam Bregman.

"Lutadoras - Histórias de mulheres que fizeram história" não é apenas um livro sobre mulheres militantes; é uma publicação militante, organizada por mulheres militantes para que nossa história não seja apagada, para que as vozes daquelas que lutaram não sejam silenciadas. Por isso o livro é dedicado às mulheres que lutam e à memória de Marielle Franco.

O prólogo do livro já está disponível no Esquerda Diário e pode ser lido aqui.

Os livros estarão disponíveis por R$30,00 nas Casas Marx de São Paulo, Rio de Janeiro e ABC, e na Casa Rosa, em Campinas. Também podem ser adquiridos diretamente com militantes do Grupo de Mulheres Pão e Rosas, Faísca e MRT.

Casa Marx São Paulo: Praça Américo Jacomino, 49. Em frente ao metrô Vila Madalena, São Paulo/SPRetour ligne automatique
Casa Marx ABC: Rua Onze de Junho, 694 - Casa Branca - Santo André/SPRetour ligne automatique
Casa Rosa Campinas: Av. Anchieta, 51. Campinas/SPRetour ligne automatique
Casa Marx Rio de Janeiro: Rua da Lapa, 161. Rio de Janeiro/RJ

Em breve, calendário de lançamentos.




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Edições Iskra   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar