Juventude

Escola Sem Partido

É preciso cercar de solidariedade com a professora da UFRJ que teve a aula gravada

Professora do IFCS teve sua aula gravada por um aluno que a divulgou na internet acusando de “doutrinação esquerdista”. Nós do Esquerda Diário e do MRT nos solidarizamos com a professoras e repudiamos o ato, bem como convocamos os estudantes da UFRJ a se mobilizar contra o acontecido e contra todos os ataques relacionados ao escola sem partido.

sexta-feira 30 de novembro| Edição do dia

É sabido que o Escola Sem Partido é um dos projetos reacionários que Bolsonaro quer passar. Porém, mesmo antes do projeto ser aprovado, já estão havendo várias perseguições a professores em diversos lugares.

Dessa vez a perseguição foi na UFRJ. Uma professora do IFCS teve sua aula de Educação Brasileira gravada por um aluno sem o seu consentimento. Após isso o aluno começou a espalhar a aula pela internet em grupos como “UFRJ Livre”, acusando a professora de “doutrinação esquerdista”. A professora denunciou o caso na ouvidoria da UFRJ e em todos os canais possíveis.

Nós do Esquerda Diário e do MRT nos solidarizamos com a professora e repudiamos o ocorrido. Também convocamos todos à Aula Aberta da Disciplina Educação Brasileira que acontecerá dia 5/12, as 14h no IFCS. Os estudantes da UFRJ não podem tolerar esse ataque e perseguição aos professores. Apenas a mobilização conjunta dos estudantes com a classe trabalhadora pode barrar. É necessário que desde já o DCE convoque uma mobilização permanente contra o Escola Sem Partido e os ataques de Bolsonaro. Junto a isso, é necessário que os estudantes se unam aos professores para barrar de vez esse projeto reacionário e que as centrais sindicais convoquem um plano de luta para combater os ataques de Bolsonaro!




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Escola sem partido   /    UFRJ   /    Rio de Janeiro   /    Juventude

Comentários

Comentar