Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Durante protesto, policial atira na cabeça de manifestante em Recife

Durante um protesto contra o Projeto Nova Recife na capital pernambucana nesta quinta feira (01), manifestantes foram provocados pela polícia e um jovem foi atingido na cabeça por um tiro de bala de borracha, a queima roupa. Veja o vídeo:

sábado 3 de outubro de 2015| Edição do dia

A manifestação era contra as ilegalidades e mazelas do Projeto Nova Recife encabeçado por empreiteiras como Moura Dubeux, Queiroz Galvão, Ara Empreendimentos e GL Empreendimentos que pretende transformar um terreno turístico de valor estético e social para a cidade, em um grande empreendimento imobiliário, se aproveitando pra lucrar milhões com a especulação local.

A ofensiva da polícia e dos governos contra os lutadores e oprimidos

Desde as grandes manifestações de junho de 2013 vimos uma ofensiva violenta da polícia contra a juventude e os trabalhadores que se colocam em luta contra as injustiças, sejam elas ligadas as questões sociais como transporte, educação e saúde, ou como também vimos a repressão aos que lutaram contra as injustiças da Copa do Mundo, aos trabalhadores que lutaram por melhores condições de trabalho e salário, aos jovens que questionaram seu lugar como negros e pobres nos famosos rolezinhos, ou em cada caso cotidiano de assassinato policial de jovens nas favelas e prisões arbitrárias nos bairros nobres.

A luta por direitos sociais precisa ser também contra a polícia

Essa ofensiva repressiva geral e casos absurdos de violência como o do vídeo colaboraram pra abrir importantes debates em relação ao papel da polícia na nossa sociedade capitalista. O que às vezes pode parecer falta de preparo, como neste caso de Recife, é na verdade um preparo específico para o tratamento dos que lutam por direitos e transformações sociais. A polícia é um instrumento dos governos para controlar a juventude e os trabalhadores que, diante de um momento político instável, de muitos ataques de todos os lados, tendem a se mobilizar e subverter a ordem estabelecida e o papel desse aparato repressivo é justamente o de mantê-la. Por isso os jovens e trabalhadores que anseiam por transformações não podem depositar nenhuma confiança na polícia.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    violência policial   /    Juventude

Comentários

Comentar