Gênero e sexualidade

LGBTFOBIA

Doria recolhe material didático da rede estadual para reprimir os LGBTs

Nessa terça-feira o Governador do Estado de São Paulo, João Doria, mandou recolher o material escolar de ciências para os alunos do oitavo ano da rede estadual de educação alegando promoção da “ideologia de gênero” em uma das páginas da apostila.

terça-feira 3 de setembro| Edição do dia

O caso ainda contou com a declaração do atual governador em seu perfil pessoal do twitter dizendo que seu governo não aceita a ideologia de gênero:

Junto a recente declaração de Bolsonaro que vai enviar ao MEC uma PL para proibir o ensino da “ideologia de gênero” no ensino fundamental, vemos como Doria aqui no Estado de São Paulo é a linha de continuidade do projeto de extrema direita do Bolsonaro à nível federal. Utilizam esse discurso absurdo mas que na verdade busca apenas encobrir a opressão e os ataques para o setor LGBT da população que amarga altíssimas taxas de desemprego, além de discriminação sistemática levando ao extrema de seus assassinatos e que são legitimados por discursos como esse.

O projeto de educação de ambos os governos, junto a movimentos como “Escola sem Partido”, tem como objetivo final impedir qualquer pensamento crítico em relação a sociedade e tecnicizar o ensino para atender aos interesses mercadológicos, avançando nos grandes monopólios do ensino privado seja nas escolas e nos matérias didáticos, mas também na liberdade do professor dentro da sala de aula e o financiamento das universidades. Bolsonaro e Doria querem criar um cerco ideológico que impeça a discussão sobre a política de extermínio que defendem aos setores oprimidos da sociedade.

Veja algumas das páginas da apostila recolhida:



Sobre isso a professora da rede estadual, diretora da APEOSP pela oposição e militante do MRT, Maíra Machado declara:

“Meu profundo repúdio a decisão tomada pelo Governador do Estado de São Paulo João Doria e sua Secretaria de Educação em recolher o material didático de ciências dos alunos do oitavo ano por colocar a discussão sobre sexo biológico e identidade de gênero para os alunos.

A população LGBT é historicamente perseguida e a política de Doria e Bolsonaro no governo federal vem no sentido de aprofundar ainda mais essa perseguição. As crianças tem o direito de serem ensinadas sobre a liberdade e a diversidade sexual contida na nossa sociedade, para que possam refletir criticamente sobre sua própria identidade e como a sociedade lida com as demandas desse setor.

A força social dos LGBTs aliados a classe trabalhadora pode impor uma derrota definitiva ao projeto LGBTfóbico da extrema direita e lutar por uma sociedade onde todos possamos viver e expressar livremente nossa sexualidade e identidade.”




Tópicos relacionados

Educação Sexual   /    Nossa Classe Educação   /    João Doria   /    Educação   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar