Política

EXTREMA DIREITA

Desesperada ultradireita bolsonarista passa vergonha no twitter por medo da luta de classes no Chile

A manhã dessa segunda-feira, dia 21 de outubro, está marcada pela continuidade da luta chilena contra as medidas de ataque ao povo, juventude e trabalhadores. Desde a semana passada o Chile está sendo o palco de manifestações populares, que se transformaram em verdadeiras jornadas revolucionárias, contra medidas de elevação da carestia de vida. Acuado, o presidente chileno Piñera, elogiado por Paulo Guedes e Bolsonaro, já teve que recuar do aumento das tarifas de metrô. Enquanto isso reprime brutalmente a população e os trabalhadores, que legitimamente questionam nas ruas essa política de ataques neoliberais. Toda essa situação é um alento, que aponta o caminho que se deve seguir. Mas a ultradireita bolsonarista está aterrorizada. E passa vergonha no twitter.

segunda-feira 21 de outubro| Edição do dia

Animados pelo guru tarólogo da direita brasileira o twitter hoje amanheceu com uma série de posts que buscavam reviver o mito do Foro de São Paulo. Em mais uma ridícula peça de ficção, os tweets tentavam ligar a Venezuela e Maduro, o tal Foro de São Paulo, e a explosão social no Chile e no Equador. Segundo esse delírio a explosão genuína dos trabalhadores e juventude no Chile seria apenas o produto de um suposto “plano contra a América Latina tramado pelo Foro de São Paulo”. Com a narrativa delirante que lhes caracteriza, a ultadireita mal consegue disfarçar seu pavor do povo nas ruas. Apoiados em vídeos absolutamente descontextualizados de Maduro que em nada tem a ver com o que ocorre no Chile, os tweets ainda tentam fazer crer que o Foro de São Paulo seria igualmente responsável pelos vazamentos de petróleo no Nordeste. Tudo devidamente replicado pelos tweets “brilhantes” de Eduardo Bolsonaro.

O próprio Jair Bolsonaro também reafirmou essa tese, no afã de esconder que é o seu governo o grande responsável pelos escândalos ambientais, pelo desemprego massivo que assola o país, e pela entrega de nossas riquezas e recursos aos interesses monopólicos estrangeiros.

A insistência da ultradireita em recriar seu moinho de vento favorito, o afamado Foro de São Paulo, é uma tentativa desesperada de esconder que a juventude, o povo e os trabalhadores no Chile, tão elogiado por Bolsonaro, não apoiam os ataques neoliberais tão similares aos que ele quer aplicar aqui. Que estão dispostos a arrancar nas ruas seu direito a trabalho digno, aposentadorias dignas, a um futuro digno. Que entenderam que um punhado de capitalistas enriquecem, que o governo ataca em favor desses, enquanto o povo tem que encarar aumento de 150% nos preços das moradias, sendo que os salários elevaram-se apenas 25%. Que como dizem os cartazes que diversos jovens levavam às ruas que “nos roubaram tanto, que nos tiraram até o medo”. E isso teoria da conspiração nenhuma pode evitar ou deter.




Tópicos relacionados

Retorno da luta de classes   /    Eduardo Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Chile   /    Política

Comentários

Comentar