Política

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL DO GOVERNO BOLSONARO

Depois que Bolsonaro assumiu os crimes ambientais ficam impunes no Brasil, diz Pablito

Levantamento feito pelo Observatório do Clima mostra que “núcleos de conciliação” de Bolsonaro tiveram como efeito travar qualquer punição a crimes ambientais no país. Marcello Pablito, da bancada revolucionária de trabalhadores do MRT, comentou o fato ao Esquerda Diário.

sábado 24 de outubro| Edição do dia

Em abril do ano passado, poucos meses após assumir, Bolsonaro utilizou o autoritário poder presidencial para travar as multar e punições por crimes ambientais. Com o decreto 9.760, o governo criou os “núcleos de conciliação”, responsáveis por avaliar as multas do IBAMA e ICMBio antes que fossem aplicadas.

O efeito concreto disto foi que desde então nenhuma multa foi aplicada, e que o IBAMA realizou apenas 5 audiências das 7.205 que estão agendadas. ICMBio não realizou nenhuma. O governo Bolsonaro está simplesmente inviabilizando qualquer processo de ter andamento.

Marcello Pablito, candidato a vereador em São Paulo pela bancada revolucionária de trabalhadores do MRT, comentou o tema:

“O governo Bolsonaro é campeão em crimes ambientais, fazendo de tudo para favorecer seus aliados do agronegócio e mineradoras ao custo de destruir de forma irreversível a riqueza ambiental de biomas como a Amazônia e o Pantanal. Lembramos das confissões desses crimes, como a fala do ministro Ricardo Salles na reunião ministerial sobre ‘abrir a porteira’ durante a pandemia para aumentar a devastação. A paralisia completa dos órgãos de fiscalização ambiental é mais uma demonstração, tal como a utilização do aparelho estatal para a perseguição de ambientalistas, os números escandalosos de desmatamento que vem escalando desde o início do governo, entre tantos outros, de que Bolsonaro está disposto a seguir até o fim com esta destruição.

Vemos por outro lado muitos governantes e empresas imperialistas declarar de maneira demagógica e hipócrita sua ‘preocupação’ com a Amazônia, tal como o candidato democrata Joe Biden ou o presidente francês Macron. Sabemos que dos governos capitalistas só podemos esperar mais destruição ambiental, pois esse sistema econômico que tem como objetivo enriquecer um punhado de parasitas é absolutamente incapaz de se preocupar autenticamente com as necessidades humanas e ambientais.

Lutamos contra a destruição ambiental bolsonarista, mas sem nenhuma ilusão de que será confiando em alguma aliança com capitalistas ou partidos burgueses que poderemos acabar com ela. Somente lutando por uma saída dos trabalhadores, por uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana e um governo nosso poderemos apontar para uma saída para esse beco sem saída que ameaça a vida em nosso planeta.”




Tópicos relacionados

Ibama   /    Bancada Revolucionária de Trabalhadores   /    PANTANAL    /    Pantanal   /    Amazônia   /    Ricardo Salles   /    Crime Ambiental    /    Ministério do Meio Ambiente   /    Governo Bolsonaro   /    Floresta amazônica   /    Meio Ambiente   /    Política

Comentários

Comentar