Política

PT

Depois de abrir espaço para a direita, PT diz que há "caos social" por prisão de Lula

Cinicamente o PT ameaça causar um "caos social" depois de não resistir ao golpe, continuar se aliando aos golpistas, trair duas greve gerais e não mobilizar sua base nem mesmo quando Lula foi preso.

sexta-feira 8 de junho| Edição do dia

Imagem: Papo TV

Nesta quinta-feira, 07, dia em que a prisão de Lula completou dois meses, a atual presidente do PT, Gleisi Hoffman (PR), fez um discurso inflamado no Senado exigindo que o Judiciário acate os recursos impetrados pela soltura do ex-presidente. Um dia antes do lançamento de sua pré-candidatura em Contagem (MG), Hoffman chegou a afirmar que se Lula não for solto “o caos social vai aumentar”, como se o PT estivesse lutando e disposto a colocar as massas nas ruas, em um discurso totalmente demagógico que mascara o papel de freio do PT durante os anos de governo e após o golpe.

Em falso tom de ameaça, Gleisi Hoffman tentou fazer parecer que o PT tem construído a luta contra a prisão de Lula e que pretende mobilizar pra causar um suposto “caos social”. O que vemos na prática, porém, é um imenso imobilismo que o PT impõe sobre os sindicatos que dirige através da CUT, traindo as lutas a gosto do patrão e dos governos, não organizando a luta contra o bonapartismo do Judiciário ou contra os ataques à classe trabalhadora. Além disso, no ano do golpe, quando Lula já estava sendo ameaçado de ser preso, o partido fez aliança com partidos golpistas para as eleições municipais, fortalecendo mais uma vez a direita.

Outra prova de que o discurso de Gleisi é demagógico vemos no programa que o PT tem defendido, que em nada oferece uma alternativa ao projeto imperialista dos golpistas. Ao contrário, segue reivindicando os anos de Lula no poder em suas manifestações públicas, quando o país passava por uma situação econômica favorável devido ao boom na venda de commodities para a China, cenário favorável ao projeto conciliador do PT quando “os bancos nunca lucraram tanto” ao mesmo tempo em que dava algumas poucas concessões aos trabalhadores. Política esta que no cenário atual não se sustenta, vide o contexto de profunda crise econômica e exigência de grandes ajustes por parte dos grandes empresários, como Dilma já mostrou ser inevitável aplicar, ainda que em seu governo não tenha conseguido fazê-lo “a gosto” do imperialismo.

De nada adianta, portanto, “agitar” o “caos social” no Senado quando todos os senadores presentes e os golpistas em geral sabem que podem contar com o PT para que as massas não saiam às ruas contra a prisão de Lula e demais ataques arbitrários vindos do Judiciário. Precisamos de um programa que se enfrente diretamente com a crise que o imperialismo nos impõe através do saque ao orçamento federal, como o não pagamento da dívida pública por exemplo, o que sabemos que o PT não está disposto a levantar.




Tópicos relacionados

Prisão de Lula   /    PT   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar