Internacional

REFORMA DA PREVIDÊNCIA NA ARGENTINA

Del Caño: “eles terão votado uma lei, mas perderam a batalha pela consciência de milhões”

"Nós da Frente de Esquerda rejeitamos esta lei que beneficiará aos grandes empresários com a redução das contribuições patronais, com a redução da taxa de imposto de renda e que faz parte deste pacotão que está levando adiante este governo que apenas algumas horas atrás votou para roubar 100 bilhões de pesos dos aposentados", disse o deputado Nicolás del Caño (PTS-FIT).

quarta-feira 20 de dezembro de 2017| Edição do dia

(Deputado Del Caño Nicolás (PTS-FIT) - Sessão 19-12-2017 - PL – YouTube)

Após a aprovação do roubo histórico aos aposentados, a Câmara dos Deputados continuou com sua atividade para debater a reforma tributária.

Nesse ponto, Nicolás del Caño disse: "Da Frente de Esquerda, rejeitamos esta lei que beneficiará os grandes empresários com a redução das contribuições patronais, com a redução da taxa de imposto de renda e que faz parte deste pacotão que está levando adiante este governo que apenas algumas horas atrás votou para roubar 100 bilhões de pesos dos aposentados".

Em particular, o deputado rejeitou enfaticamente os artigos que procuram impor impostos às empresas recuperadas: "Aqueles trabalhadores que se levantaram e mantiveram seus empregos quando os empresários queriam descarregar a crise sobre eles com fechamentos e demissões".

A referência do PTS e da Frente de Esquerda descreveu como "espúria" o acordo entre Cambiemos e os governadores do PJ e assegurou que eles fizeram uma "fraude eleitoral real" porque "eles não disseram na campanha que eles roubariam 100 bilhões dos pensionistas, mesmo se recusando a considerar uma consulta popular para que as pessoas decidam".

"Embora tenhamos este pacto espúrio dos governantes, do outro lado, nestes poucos dias, temos uma experiência acelerada com múltiplas mobilizações, que desafiaram o medo, desafiaram a repressão. Essas mobilizações desafiaram os responsáveis pelo assassinato de Rafael Nahuel, do crime de Santiago Maldonado, os que militarizaram o Congresso na quinta-feira e ontem e os reprimiram em silêncio, prendendo dezenas de pessoas que protestaram para protestar por seus direitos".

Em outro ponto em seu discurso, ele disse: "Eles voltam outras vez com a história de que, se retirarmos os impostos dos empregadores, serão criados empregos. É a mesma receita que está sendo aplicada por Donald Trump, amigo de Macri nos Estados Unidos. Essa receita que só beneficia os grandes empresários, os milionários e especialmente os ultra-milionários. Como já discutimos e reiteramos em várias ocasiões, hoje existem 8 milionários no mundo que possuem o equivalente a 3.600 milhões de pessoas. Não há demonstração de que em qualquer país que tenha beneficiado os ricos, os trabalhos são criados ou o trabalho não registrado é combatido. Temos o exemplo da Argentina nos anos 90, onde a redução das contribuições dos empregadores não significou a criação de emprego, mas terminou com uma hiper ocupação e com o aumento do trabalho não registrado ou negro".

"Para os idosos que trabalharam toda a vida, esse regime social capitalista só pode oferecer fome, perpetuá-los na miséria. Ao invés que o aumento da expectativa de vida signifique um benefício, significa um fardo. O mesmo acontece com os trabalhadores ativos, razão pela qual eles promovem a reforma do trabalho, como em muitos outros países, eles tentam aumentar o dia útil para 12 horas, voltando ao século XIX. Ao contrário do que dizemos Mudança, da Frente Esquerda, afirmamos que devemos afetar o lucro desses capitalistas, devemos reduzir o dia útil a 6 horas, 5 dias por semana, com um salário igual à cesta familiar e distribuir horas de trabalho entre empregados e desempregados para que todos os trabalhadores tenham um emprego. Sabemos que isso só pode ser estabelecido com o governo dos trabalhadores e é por isso que lutamos no nosso partido, no PTS e na Frente de Esquerda".

E concluiu: "Senhor Presidente, quero dizer-lhe que você poderia ter tido um triunfo parlamentar, que você poderia votar uma lei, mas ficou muito claro que, nestes dias, você perdeu a batalha pela consciência de milhões. O que foi dito na rua, que o governo dos ricos roubou os aposentados, é claro para toda a população. Por essa razão, recusaram a consulta popular e colocaram toda a repressão do Estado a serviço de roubar os mais humildes".

Tradução Douglas Silva




Tópicos relacionados

Argentina   /    Mauricio Macri   /    Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT)   /    PTS na FIT   /    Internacional

Comentários

Comentar