Internacional

Defendendo lobby, EUA se colocam contrários a resolução da ONU que incentiva amamentação

segunda-feira 9 de julho| Edição do dia

Um posicionamento dos EUA chocou o restante da comunidade internacional em uma uma reunião da Assembleia Mundial da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS), ao condenar uma resolução de incentivo à amamentação.

Contrariando todas as pesquisas científicas a respeito, os diplomatas americanos foram intransigentes ao se posicionarem contrários a resolução, ameaçando até mesmo impor sanções comerciais às nações que apoiassem a medida.

A partir da evidência de anos de pesquisas, a resolução proposta recomendava que os governos limitassem o marketing impreciso ou enganoso de métodos substitutivos da amamentação.

Diante disso, a posição dos EUA é a clara defesa das empresas que lucram com a desinformação e a venda de alternativas ou suplementos ao leite materno, quando o alimento mais saudável para a criança, e indispensável, é fornecido de forma gratuita pela mãe.

O absurdo da posição dos americanos é representativo da força do lobby das empresas nas posições do governo, utilizando sua representação inclusive para impor sua vontade ao restante da comunidade internacional, inclusive chantageando com sanções comerciais as demais nações.




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Internacional

Comentários

Comentar