Cultura

LIBERDADE PARA RENAN DA PENHA

Criminalização do funk: UPP da Rocinha proíbe Renan da Penha de fazer live

O DJ Renan da Penha, arbitrariamente condenado por associação com tráfico de drogas, teve sua live de ontem cancelada por determinação da UPP da Rocinha. Mais uma demonstração de criminalização do funk e de que a polícia existe para perseguir e reprimir o povo negro.

domingo 19 de julho| Edição do dia

Ontem, às 23h59, iria acontecer uma live do DJ Renan da Penha, mas um embargamento por parte da Unidade de Polícia “Pacificadora” da Rocinha proibiu o músico, que publicou um esclarecimento em seu Twitter:

Renan ficou encarcerado por 8 meses no ano passado, por uma alegação arbitraria de ainda sem provas de envolvimento com o tráfico de drogas. Foi solto em novembro mas permanece condenado. O caso do DJ deixou evidente que o judiciário e a polícia nada mais são que instrumentos deste Estado capitalista para perseguir, reprimir, punir e assassinar o povo negro. A guerra ao funk e a guerra às drogas são parte da política racista defendida por todos os governos que administram esse Estado, e se mostra ainda mais no governo Bolsonaro e Witzel.

As ruas dos Estados Unidos gritam: pelo desfinanciamento e, inclusive, fim da polícia! Defendemos essa perspectiva. Pelo fim da criminalização do funk e de toda a cultura negra. Chega de guerra aos negros com o nome de “guerra às drogas”, pela legalização de todas as drogas.




Tópicos relacionados

Racismo   /    funk   /    Rio de Janeiro   /    Cultura   /    [email protected]

Comentários

Comentar