TRABALHO PRECÁRIO

Coronavírus: "Ou trabalha ou se demite" diz chefia para trabalhadores do telemarketing

Nós do Esquerda Diário estamos recebendo diversas denúncias de diversos locais do país sobre a continuidade do trabalho no telemarketing e a verdadeira ditadura do trabalho que está implementando a chefia das empresas.

quinta-feira 19 de março| Edição do dia

Diante da pandemia em escalas a muito tempo não vistas do coronavírus, o Covid-19, trabalhadores do telemarketing continuam trabalhando sob exposição de contrair o vírus. Com revolta dos operadores em diversos locais de trabalho, as empresas continuam com uma linha dura para que todos trabalhem e se exponham ainda mais ao vírus.

Confira relato enviado por um trabalhador do telemarketing ao Esquerda Diário. Envie também suas denúncias ao site, garantimos o anonimato.

"Os trabalhadores estão desesperados porque são diversos turnos todos os dias, dividimos o teclado, o microfone, mouse e todas as ferramentas de trabalho. A empresa diz que o vírus não passa pelo ar, somente em coisas tocadas por pessoas infectadas. Mas ao mesmo tempo não vemos higienização dos instrumentos de trabalho. Deixaram dois potes de álcool em gel pela empresa, que toda hora acaba e demora para ser reposto. Querem que continuemos trabalhando a mil.

Ontem a chefia disse que quem estiver com medo de trabalhar pode se demitir e voltar quando a doença acabar. Isso gerou uma grande revolta entre os trabalhadores, porque claramente não estão preocupados com nossa saúde, mas somente com os próprios lucros. Choramos de raiva frente a ineficiência das medidas da empresa e do descaso para com os trabalhadores, querem que trabalhemos até morrer para preservar seus lucros."




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Telemarketing   /    Trabalho Precário

Comentários

Comentar