Sociedade

AUMENTO DA CONTA DE ÁGUA

Conta de água em Campinas aumenta devido à redução no consumo

A poucos dias os moradores de Campinas tiveram uma surpresa ao saber, que pela segunda vez no ano, a conta de água ficará mais cara. O que mostra uma grande contradição, uma vez que os consumidores reduziram o gasto de água, e é justamente por esse fato que a empresa alega estar aumentando o preço do serviço.

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

quinta-feira 23 de julho de 2015| Edição do dia

Foto: Justin Sullivan / Getty Images

Em entrevista ao Bom Dia Brasil, Arly de Lara Romêo presidente da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A (SANASA) comenta que "Houve uma redução do consumo, consequentemente houve redução no faturamento da empresa. É necessidade da empresa seguir mantendo seus compromissos e seus investimentos". Essa declaração esconde, na verdade, uma profunda crise que a empresa vive, tendo prejuízo em torno de 100% em 2014 com relação ao ano anterior, segundo os próprios balanços da empresa, que se soma à crise hídrica fruto do mal gerenciamento dos recursos naturais e os casos de corrupção que envolvem a empresa.

Desde o ano passado, ficou em voga nas mídias a questão da crise hídrica no estado de São Paulo como um todo, que começou a mostrar suas consequências no começo desse ano. Uma crise já alertada desde 2003, e que por mau gerenciamento, falta de interesse e os casos de corrupção, se acentua e recai sobre principalmente sobre a população mais pobre, chegando a ficar mais de duas semanas sem água para consumo. Em face da crise hídrica, causada pelo mau gerenciamento dos empresários em benefício dos próprios lucros e em detrimento da população.

Em 2011, o mandato do ex-prefeito de Campinas e ex-presidente da SANASA, Hélio de Oliveira Santos, foi cassado sob as acusações de corrupção nos contratos dessa empresa, além das suspeitas de fraudes em licitações. Ao mesmo tempo que isso acontece, a empresa não cumpre sua promessa em ampliar a rede de esgoto, para regiões como Campo Grande. Essa região é umas das mais pobres de Campinas, onde os moradores ainda sofrem com a falta da rede de esgotos, estando submetidos as doenças que isso acarreta.

Vemos que o aumento de água atinge principalmente a classe trabalhadora e a juventude, uma vez que mesmo com a redução do consumo sofre com a crise criada pelos próprios empresários. Tanto o prefeito anterior, quanto Jonas estavam metidos em escândalos ligados a SANASA e não à toa a marca da atual prefeitura é a privatização contra os interesses da população. A privatização de serviços tão essenciais como a água apenas serve aos lucros dos empresários. O controle da SANASA e dos demais serviços públicos, como o transporte, estaria mais garantido a servir de fato à população se estivesse nas mãos dos trabalhadores dessa empresa e não dos empresários, apenas assim poderia ser um direito dos que realmente usam seus serviços.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Falta d’água   /    Campinas

Comentários

Comentar