Cultura

Consciência Negra

Manivela

Musicista na região metropolitana de BH

quarta-feira 13 de dezembro de 2017| Edição do dia

Fui trazido como escravo mesmo sendo um rei, fui caçado, massacrado e o nome do patrão herdei.
Desonraram a minha fé em lavouras de café, mas hoje eu ressurgi e meu reinado é só axé.

Da herança da mulher a joia mais rara, conquistando o dia a dia colocando a cara a tapa.
Quero ver toda preta ser guerreira igual Dandara, honrando as suas histórias lutando suas batalhas.

Machado de Xangô, hoje ele vai agir. Gangazumba e Zumbi semeou nossa história por aí.
Muito sangue derramou e ainda está por derramar e Jesus Cristo não foi único preto que morreu para te salvar.

Abram as cancelas que detém Mandela, 30 anos se passaram dentro de uma cela.
Livres toda dor. Os Pretos sempre agem, ninguém tem que aceitar mais um aparthaid.

De revolta tô munido, registra na ata. Minha pegada de João Cândido que não aceito mais chibata.
É dada a largada e os pretim na disparada, o oprimido hoje corre mais que opressor...

Prepara

Aqui é tipo Jesse Owens, foco no objetivo falcão negro voador.

Hoje é dia de Assis na sua mente eu vou entrar
recitando machadada pro pensamento acordar.
Tu, só tu, puro amor, de desencanto a Dom Casmurro sem curso superior.

Meu conceito de vida
vou lutar pra libertar, espírito de Chico Rei
reino em qualquer lugar.
Vim junto de madalena tentaram me escravizar, perdi toda minha família
em um navio em alto mar.

Paguei minha alforria conquistei meu ouro
preto, libertei meus irmãos, irmandades dos homens pretos.
Salve rosário, que me permitiu ter fé, esse é galanga rei enche minha alma de asè.




Tópicos relacionados

Música   /    Belo Horizonte   /    Cultura   /    Negr@s   /    Juventude

Comentários

Comentar