Cultura

POEMA

Confissões de uma Puta

terça-feira 3 de janeiro| Edição do dia

Eu sou puta.
Sim, sou puta.
Não, não faço sexo por dinheiro.
Nem quem faz sexo por dinheiro é "puta".
Puta é o que? Abreviação pra prostituta?
O que é puta, afinal de contas?
Não sei.
Mas a sociedade resolveu me taxar de puta.
Puta por me vestir da forma que eu quero.
Puta por querer sair pra qualquer lugar a qualquer hora.
Puta por tomar atitude quando estou afim de alguém.
Puta por falar palavrões e gírias.
Puta por sentir vontade de fazer sexo casual.
Puta por vestir top com short curto em um dia de calor.
Puta por não me importar com a opinião alheia.
Puta por confiar no meu próprio taco.
Puta por ser ousada.
Puta por ter muitos amigos homens.
Sou puta por ficar com uma pessoa diferente em cada dia da semana.
Sou puta porque não sinto vergonha do meu corpo.
Sou puta por me sentir extremamente sexy e sensual.
Sou puta por olhar pro corpo de outras pessoas com desejo, mesmo que discretamente.
Sou puta porque tenho olhar de puta.
Sou puta porque, quando saio pra algum lugar, fico com 15/20 pessoas na mesma noite.
Sou puta por ir pra uma festa e dançar, beber, fumar, me divertir do meu próprio jeito.
Sou puta por ficar com um cara, com o amigo dele, com o irmão dele, com os primos dele.
Sou puta porque beijo garotas em público sem vergonha nenhuma.
Sou puta porque, quando chega um mocinho que todo mundo considera "responsa" querendo algo sério comigo, eu recuso.
Não porque eu simplesmente não estou a fim de me relacionar sério com ninguém e sim, porque eu sou puta.
Sou puta por ser puta mesmo.
Sou puta por falar de sexo abertamente.
Sou puta por fazer sessões de fotos sensuais no meu quarto sempre que sinto vontade.
Sou puta porque exponho meu corpo nu.
Sou puta porque puta sente desejo.
E eu sinto.
E não escondo.
Sou puta sim.
Por não reprimir minhas vontades e instintos como mulher com tanto afinco.
Sou puta por me maquear feito puta.
Sou puta por ter lábios de puta.
Sou puta por ter mania de morder os lábios de puta.
Sou puta por ser feminista.
Ah, não! Feminista!? Feminazi, isso sim.
Sou.
Sou puta o tempo todo.
Sou puta todo o tempo.
Mas algo que não faço é me desculpar com a sociedade.
Porque puta que é puta não pede perdão por ser o que é.




Tópicos relacionados

Poesia   /    Cultura

Comentários

Comentar