Gênero e sexualidade

DIREITO AO ABORTO

Comissão da Câmara dos deputados avança para proibir o aborto mesmo em casos de estupro

Hoje, por 18 votos a 1, a comissão especial da câmara dos deputados, que avaliava a extensão da licença-maternidade nos casos de bebês prematuros aprovou alterações no texto constitucional que avança para proibir o aborto até mesmo em caso de estupro.

quarta-feira 8 de novembro| Edição do dia

A PEC 181, apelidada de PEC Cavalo de Troia, trata da extensão da licença maternidade para mães de bebês prematuros. Porém, deputados da bancada evangélica pretendem incluir no artigo 1º o termo “desde a concepção” quando trata da “dignidade da pessoa humana”.

Veja a alteração proposta pelo reacionário Tadeu Mudalen (DEM-SP)

A alteração tem como o objetivo barrar qualquer avanço para a descriminalização do aborto e pode proibir o aborto mesmo nos caos já garantidos por lei, como em casos de estupros.

A proposta deve seguir para a câmara e precisa de 308 votos para ser aprovada.

O aborto é a 5ª causa de morte materna no país. Todos os anos um milhão de mulheres fazem abortos em clínicas clandestinas, sujeitas a mutilações, infecções e mortes. Os deputados que votaram hoje pela alteração do texto constitucional estão entregando milhares de mulheres à morte. A proibição do aborto não impede ele de acontecer. Mas porque ele é proibido milhares morrem todos os anos.

Veja o vídeo produzido pelo grupo de mulheres Pão e Rosas

Saiba mais: Dossiê 28 de setembro - Dia latino americano e caribenho de luta pela descriminalização do aborto




Tópicos relacionados

Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar