Mundo Operário

PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE

Com fuzil na mão, polícia ocupa estação da CEDAE para impedir organização dos trabalhadores

Um dia após a criminosa votação da privatização da CEDAE, policiais ocupam a sede de tratamento e produção de água potável em Guandu para intimidar os trabalhadores em assembléia. A assembléia legislativa junto ao governo do estado estão tentando passar um enorme ataque a população e aos trabalhadores da água, através de violência policial com duras repressões nos atos, e agora essa medida antidemocrática e truculenta colocando policiais para impedir que os trabalhadores se organizem.

terça-feira 21 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Nessa terça-feira a entrada da CEDAE na estação de Guandu amanheceu com policiais cheios de fuzis para intimidar os trabalhadores que se organizavam em assembléia. Os trabalhadores da CEDAE estão lutando contra a privatização do sistema de água, um bem elementar que deveria estar voltado a atender a população e não aos lucros. Enquanto mantém seus próprios privilégios, a ALERJ e o governo do estado aprovaram a privatização da água para supostamente responder a crise econômica que passa o Rio de Janeiro.

O governo esta tentando impedir a luta dos trabalhadores através de muita repressão policial, usando de violência nos atos e métodos ditatoriais que atentam contra a liberdade de organização e luta dos trabalhadores. Essas medidas mostram também o medo do governo com a possibilidade do desenvolvimento de um processo de luta operário e de juventude no estado, que poderiam impedir seus planos privatistas e de ataque.




Tópicos relacionados

CEDAE   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar