Política

PORTO ALEGRE

Com assédio moral e ameaças, Marchezan pressiona muncipários em greve

Na manhã desta segunda (10) chamou atenção no ato dos trabalhadores municipários a denúncia do assédio moral que a categoria vem passando nas mãos de Marchezan (PSDB). É uma maneira do prefeito tentar desmobilizar a forte greve da categoria.

segunda-feira 9 de outubro| Edição do dia

Uma das palavras de ordem que os municipários mais entoaram nessa segunda-feira no ato da Câmara de Vereadores foi denunciando o assédio moral que os trabalhadores vem sofrendo na prefeitura "prefeito assediador, se tu descorda ele te joga o grampeador", em alusão a um dos chiliques do prefeito, que foi acusado de arremessar um grampeador.

Além disso, é comum nos grupos de Facebook e Whatsapp as denúncias de assédio moral por parte das chefias na prefeitura. Uma forte pressão para que os trabalhadores não entrem em greve e não se enfrentem com o governo. Mesmo assim, a estimativa é que 90% das escolas municipais da capital registraram adesão à greve, além de uma forte adesão também em outros setores do serviço público.

É preciso denunciar e tornar pública a pressão da prefeitura para desmobilizar a categoria. Assim como nos municipários, na Carris a gestão de Marchezan também promove um verdadeiro terrorismo contra os trabalhadores que lutam. Na empresa de transportes as chefias chegam ao absurdo de revistas bolsas e perseguir os trabalhadores nas redes sociais.

O Esquerda Diário está à disposição dos municipários, rodoviários e também dos professores para publicar denúncias e relatos dos trabalhadores em luta contra os governos e patrões assediadores. Não se cale! Envie seus relatos, denuncia. A força da classe trabalhadora mobilizada pode derrotar Marchezan e Sartori e o Esquerda Diário está a serviço disso.




Tópicos relacionados

Greve Municipários Poa   /    Marchezan   /    Greve   /    Porto Alegre   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar