Internacional

ELEIÇÕES PRIMÁRIAS EUA

Clinton não pode cantar vitória

Apesar de que muitos proclamaram Hillary Clinton como virtual nomeada depois da super-terça, os bons resultados deste fim de semana do senador Bernie Sanders só confirmam que a disputa democrata segue sendo incômoda para a ex-secretária de Estado.

Celeste Murillo

Argentina | @rompe_teclas

quarta-feira 9 de março de 2016| Edição do dia

Bernie Sanders ganhou as primárias no Kansas, Nebraska e Maine, enquanto Clinton venceu na Louisiana. Ainda que este último estado represente uma grande quantidade de delegados, Hillary só pode dar como “ganha” a disputa se soma o apoio do establishment do partido. Se a briga fosse definida só pelas primárias e convenções, o panorama seria mais equilibrado, como mostra o infográfico.

A fraude dos superdelegados na disputa democrata é evidente. Foram seus eleitores e milhares de voluntários, mais do que Sanders, os que criticaram esse mecanismo anti-democrático utilizado pela direção do partido para impor seu “escolhido”.

Do lado republicano, o establishment do partido não consegue frear o impulso de Trump, que no fim de semana dividiu as vitórias com Ted Cruz, outro candidato da direita conservadora. Cruz já havia surpreendido em Iowa pela sua capacidade para mobilizar a base evangélica em prol de sua candidatura. Marco Rubio só conseguiu uma (esperada) vitória em Porto Rico.

O único momento de esplendor para Marco Rubio ocorreu na Conferência da União Conservadora (CPAC), encontro anual da base conservadora republicana, que vê com preocupação o avanço de Donald Trump (o único ausente). “Devemos redefinir o que significa ser conservador. Não é simplesmente uma atitude, o quão alto está disposto a gritar, quanto tempo pensa estar zangado ou a quantas pessoas vai insultar”, disse Rubio em clara alusão a Trump. O jovem senador da Flórida recebeu os aplausos da CPAC, mas não conseguiu se impor nas primárias e sua nomeação parece um sonho cada vez mais distante.

Nessa terça-feira, 8, se espera uma batalha democrata em Michigan, onde se situa a cidade de Flint, conhecida atualmente pelo envenenamento de água que afeta a maioria negra e pobre. O escândalo da água começou em 2014 quando o estado diminuiu os gastos com o abastecimento de água e não tomou medidas referentes à corrosão das tubulações. No sábado passado durante o debate democrata, tanto Sanders como Clinton acusaram o governador republicano Rick Snyder de ser o responsável por essa crise ambiental.




Tópicos relacionados

Eleições Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar