Internacional

CHILE

Chile: As ruas gritam: Fora Piñera! Sem diálogo e acordo com este governo assassino!

Em cadeia nacional, Piñera fez um discurso após a greve massiva e a mobilização nacional, onde anunciou nada de novo a não ser repressão, criminalização e perseguição política contra a juventude e o povo trabalhador. Piñera tem que ir, com a greve geral e a mobilização!

quarta-feira 13 de novembro| Edição do dia

Em um discurso em cadeia nacional, Piñera criminalizou a enorme greve de ontem (12) e a mobilização em massa. Em um pronunciamento histórico de trabalhadores, jovens e colonos, as ruas novamente rejeitaram a repressão desse governo criminoso e sua armadilha da "nova constituição" através do antigo Congresso herdeiro da ditadura.

Seu discurso não era nada novo, exceto mais criminalização. Em uma das chaves, ele disse ao final de seu discurso que promoverá investigações da lei de segurança interna do Estado contra "aqueles que incitaram, promoveram ou provocaram crimes". Ou seja, mais mão dura, mais repressão selvagem, mais criminalização e perseguição contra jovens e trabalhadores.

O objetivo de seu discurso foi proteger a "ordem pública" violada com os protestos e fortalecer "segurança do cidadão" superada. A medida é fortalecer a polícia reintegrando policiais e os PDI daqueles que se aposentaram, para fortalecer a eficácia da polícia. .

"Mas isso não é suficiente", disse ele, porque há ataques "contra a democracia e nosso Estado de Direito", o mesmo estado que manteve a herança da ditadura de Pinochet e contra o qual existem milhões de nós que saímos às ruas e querem Piñera se vá.

Ele então chamou uma nova armadilha, de um "diálogo e acordos de todas as organizações sociais e todos os chilenos" em "acordos nacionais", mantendo esse governo assassino, mantendo a herança da ditadura e o "modelo" questionado, e mantendo esse velho regime.

Seus acordos seriam: 1) "pela paz e contra a violência". Condenar "aqueles que a dirigem, endossam ou toleram". Segundo, um acordo "pela justiça", de "agenda social". Nada novo. Terceiro, um acordo "para uma nova constituição, no quadro de nossa institucionalidade democrática, com participação cidadã e plebiscito de ratificação". Nada novo. Uma nova constituição que emergirá deste governo criminoso, da direita do Chile Vamos, da antiga Concertación e do mesmo antigo Congresso que há 30 anos legisla a serviço de grandes empresários e grandes famílias.

Nenhum diálogo ou acordo com este governo criminoso! Fora Piñera! Plano de luta e greve geral ativa com continuidade para expulsá-lo e impor uma Assembléia Constituinte Livre e Soberana!




Tópicos relacionados

Retorno da luta de classes   /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar