Mundo Operário

PARALISAÇÃO CONTRA O PL 4330

Centrais sindicais convocam paralisação nacional dia 15

quinta-feira 9 de abril de 2015| Edição do dia

A Câmara de Deputados aprovou no dia 08 o projeto de lei 4330 que precariza enormemente as condições de trabalho no país. Este projeto sob medida dos interesses dos empresários e defendido pelo governo Dilma que colocou seu poderoso ministro da fazenda Levy para negociar como implementar este projeto e não para se opor ao mesmo.

Em resposta a esta aprovação, que ainda exige aprovação também no Senado e posterior sanção pela presidente Dilma algumas centrais sindicais e sindicatos já anunciaram um dia de paralisação nacional na próxima quarta-feira (15).

A maior central sindical do país, a CUT, com históricas ligações com o PT, anunciou em seu site e em numerosas entrevistas concedidas por seus principais dirigentes que “paralisaria o país” nesta data. Esta mesma afirmação tem sido feita pela CTB, central sindical alinhada com o também governista PCdoB.

Não se pode esconder que estas centrais sindicais, bem como outras centrais burocráticas e patronais que não convocam esta paralisação, também são responsáveis pelo aumento das terceirizações e das péssimas condições de trabalho, pois impediram a mobilização da classe trabalhadora para manter seus acordos com os governos e os empresários. Em vários estados os professores estão em greve contra os “ajustes” dos governos do PT e do PSDB, porém essas lutas continuam isoladas e estas mesmas centrais não tomam nenhuma ação para coordenar estas lutas.

Além da CUT e da CTB que dirigem milhares de sindicatos no país, também devem se somar as paralisações nesta data a também burocrática Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) e a minoritária, porém, anti-governista CSP-Conlutas.

Esta última central publicou em seu site um chamado a este dia de paralisações, porém alertou sobre a necessidade de tomar medidas mais fortes e que deem continuidade a demonstração de força no dia 15. Para a CSP-Conlutas trata-se de “construir uma forte Greve Geral no país, organizada a partir de um plano de ação, comitês de mobilização e pauta única contra a política que vem sendo aplicada pelo governo, os setores de direita e o empresariado.”

O portal Esquerda Diário não é neutro e assume o lado dos trabalhadores. Iremos cobrir nos próximos dias a preparação e debates sobre esta paralisação nacional em diversos locais de trabalho. No dia também faremos uma cobertura especial das paralisações, dando continuidade à campanha que estamos fazendo contra esta projeto de lei, com artigos, vídeos, entrevistas com intelectuais especialistas com diferentes pontos de vista sobre a terceirização e a necessidade ou não de sua regulamentação, entre várias outras iniciativas.




Tópicos relacionados

Terceirização   /    Centrais Sindicais   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar