Censura é nova estratégia de Bolsonaro para ocultar o avanço da pandemia

Governo Bolsonaro, como forma de direta censura, oculta dados de mortos por COVID-19 e Ministro da Saúde quer recontagem dos mortos pela doença, pois afirma que os número estão “inflados”. Já que não possuem o controle da epidemia, agora querem fingir que ela não mata mais.

sábado 6 de junho| Edição do dia

Na sexta-feira (5), Carlos Wizard, empresário de alimentos, que passou de conselheiro a secretário após o antigo ocupante do cargo ascender à direção do Ministério da Saúde com a demissão de Teich, declarou em uma entrevista ao jornal O Globo que o Ministério pretende fazer a recontagem dos mortos por COVID-19 no país pois, segundo ele, os gestores públicos estariam registrando mais mortes do que de fato estariam ocorrendo para receberem mais verba federal, o que estaria inflando os dados sobre as mortes.

Na sexta-feira, quando o número de mortos pela COVID-19 já alcançava os 35.026, o Ministério da Saúde retirou do ar o portal que mantinha atualizados os dados sobre a doença e mudou a forma da divulgação destes dados, agora omitindo o total de óbitos para cada estado e para todo o país, como vinha sendo feito anteriormente. Uma atualização no aplicativo do Ministério da Saúde que atualizava dados sobre a doença, também foi feita para omitir informações, através da retirada da aba “situação”. Tanto o aplicativo quanto a tabela divulgada pelo Ministério da Saúde agora dão ênfase na taxa de recuperados e em acompanhamento.

O horário da divulgação oficial da atualização dos dados pelo governo também foi alterado do fim da tarde/começo da noite como vinha sendo feito desde o início da pandemia para depois das 21h30, horário em que os principais telejornais já fecharam suas edições. Bolsonaro tinha declarado em seu Twitter que a mudança de horário da divulgação seria “para que fossem padronizados e adequados para uma maior precisão”. No entanto, ao ser questionado sobre a mudança na sexta-feira à noite, respondeu: “acabou matéria do Jornal Nacional”.

Depois de quase 1 dia fora do ar, o aplicativo voltou ao ar após a “manutenção” não anunciada, mas agora com alterações. o site apresenta apenas os dados incluídos nas últimas 24 horas na base de dados do governo, o que não significa que ocorreram de ontem para hoje. Assim, não se pode ter uma dimensão se o número de mortes cai ou aumenta com o passar dos dias.

O anúncio de recontagem dos mortos gerou uma grande indignação. O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) divulgou uma nota neste sábado repudiando a declaração de Wizard.

Na internet, muitos se manifestaram nas redes sociais denunciando a escandalosa censura, comparando até mesmo com o ocultamento dos mortos, por parte dos militares, no período da ditadura militar.

Essa, de fato é uma medida profundamente autoritária e, diretamente, de censura do direito básico da população: reconhecer seus mortos e acompanhar a evolução da pandemia que assola o mundo. Sem contar a enorme subnotificação que já existia e foi inclusive anunciada pelo ministro da saúde anterior.

Para Wizard, as mortes que hoje superlotam os necrotérios e cemitérios, são “fantasiosas ou manipuladas”. As fotos que circulam dos cemitérios com centenas de túmulos novos na mesma semana e até mesmo de valas coletivas não são reais. As pessoas que perderam suas vidas por não terem tido acesso a um leito de UTI ou terem sido socorridas a tempo também são uma farsa para o novo secretário. Wizard não tem nenhuma experiência prévia na área da saúde, mas tem como capitalista, a partir das diversas atividades ligadas ao comércio que sustentam sua milionária renda. E é a partir dessa ótica que ele pretende manejar a crise do coronavírus no país, ocultando dados para acelerar a retomada das atividades econômicas privilegiando seus comparsas empresários.

A intenção declarada por Wizard faz parte da tentativa descarada do governo federal de esconder os dados escandalosos sobre as mortes por coronavírus no país, incrementando a já conhecida estratégia da subnotificação. O governo de Bolsonaro vem tentando minimizar a crise em curso no país e a principal forma tem sido esconder o verdadeiro impacto da doença sobre a população. Uma tentativa de maquiar a realidade assustadora que enfrentamos para justificar o retorno das atividades e a retomada da economia e, consequentemente, do lucro dos empresários como Wizard, como Bolsonaro sempre defendeu abertamente.

Bolsonaro, desde o início da pandemia, vem demonstrando que a vida dos trabalhadores e do povo pobre não tem nenhum valor para esse governo. A negação sobre a gravidade da situação, as piadas sobre a doença e as mortes, a retirada de direitos trabalhistas em meio à crise, a novela do auxílio emergencial para muitas pessoas, a falta de testes, entre outros fatos, são demonstrações de que este governo está disposto a sacrificar quantas vidas sejam necessárias e ainda por cima mentir criminosamente, escondendo as mortes, para seguir com seu projeto de governo assassino.

É preciso levantar Fora Bolsonaro, Mourão e militares! Por uma Constituinte Livre e Soberana para que o povo decida os rumos do país




Tópicos relacionados

Crise do Coronavírus   /    COVID-19   /    Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Censura   /    Jair Bolsonaro

Comentários

Comentar