Juventude

ESTUDANTES UFRGS

Carta aos estudantes da UFRGS: O 7º Coneufrgs é uma farsa!

Republicamos abaixo carta redigida por alguns estudantes eleitos em cursos da UFRGS para o 7º Congresso dos Estudantes da UFRGS e estudantes da UFRGS.

sexta-feira 8 de dezembro de 2017| Edição do dia

CARTA AOS ESTUDANTES DA UFRGS

O congresso é uma farsa. Por um congresso de verdade ano que vem e uma plenária de mobilização dos estudantes esse ano!

O 7º Congresso dos Estudantes da UFRGS é uma farsa. Há menos de uma semana do Congresso, que está marcado para os dias 9 e 10 de dezembro na faculdade de economia, inúmeros cursos da universidade sequer tiraram delegados para o congresso. Outros, a tiragem de delegados ocorreu de maneira despolitizada e pouco representativa, sem debate real no curso e nem participação real dos estudantes. Nas ciências sociais, por exemplo, apenas 5% do curso elegeu seus representantes, sendo que não houve nenhum debate em sala de aula ou fora sobre a importância e objetivos do congresso.

O mais grave é ele ocorrer dessa maneira antidemocrática ao final do semestre, quando entra em refluxo algumas das principais lutas em curso na cidade e no estado. Duas históricas greves estavam em seu auge quando o Congresso foi adiado - a dos municipários de Porto Alegre e dos professores do estado, sendo essa última resistente até o momento. Ao invés de organizar o congresso para armar os estudantes para se enfrentarem contra Sartori e Marchezan, ombro a ombro com os educadores e servidores, o congresso foi adiado. E pior, a atual gestão do DCE não simplesmente impediu que o Congresso pudesse armar os estudantes a saírem em luta junto com os trabalhadores, como afundou qualquer iniciativa que pudesse erguer o movimento estudantil contra Sartori e Marchezan. Em um CEB com mais de 100 estudantes e 30 cursos representados, a atual gestão do DCE, controlado pelo PT e UJS, fez de tudo para se debater tudo menos as lutas em curso, esvaziando o plenário até a meia-noite para garantir que não se debatessem as lutas. E agora querem demagogicamente falar em “plano de lutas” para um congresso falido, sendo que o real plano de lutas deveria ter sido armado quando as lutas estavam em seu auge.

Denunciamos a fraude desse congresso pois ele vai servir única e exclusivamente para a UJS e o PT se fortalecerem na entidade e não para avançar o movimento estudantil de conjunto. Com baixíssima representação e objetivos obscuros por parte da atual gestão de DCE com as mudanças no estatuto, nós que assinamos esta carta não acreditamos na viabilidade desse Congresso, que ele deve ser cancelado e substituído por uma plenária de mobilização dos estudantes. Caso contrário estaremos atestando uma fraude inaceitável dentro do movimento estudantil da UFRGS. Não é possível que a instância máxima de deliberação dos estudantes seja organizada dessa forma antidemocrática e pouco representativa, de maneira tão despolitizada e pouco participativa. Nessa plenária de estudantes que propomos para os dias 9 e 10 de dezembro, temos a tarefa de organizar os estudantes para lutar contra os planos de ajuste que Sartori ainda quer implementar esse ano, envolvendo as privatizações de estatais e adesão ao acordo com Temer, bem como nos armar contra todos os ataques que a reitoria vem aplicando contra os estudantes e a universidade, no sentido dos cortes do Temer.

Assinam esta carta:

Delegados eleitos nos cursos de ciências sociais e filosofia: Fabrício Gonzalez, Cassiano Vilella, Marlon Fidelix, Caio Reis, Guilherme Kranz. Alunos de Letras, Física, Biologia, Ciências Sociais, Serviço Social: Maythe Rocha, Valéria Muller, Tiago Xavier, Erick Felino, Marcio Santos, Ana Paula Carvalho, Camila Galvão, Guilherme Garcia, Marcio Santos, Isabel Nunes, Paula Fritz




Tópicos relacionados

UFRGS   /    Porto Alegre   /    Movimento Estudantil   /    Juventude

Comentários

Comentar