Sociedade

LEGALIZAÇÃO DA MACONHA

Cannabis, medicina e classe trabalhadora

Gilson Dantas

Brasília

segunda-feira 6 de junho de 2016| Edição do dia

Pela simples razão de que o objetivo da patronal capitalista é o lucro, os interesses da acumulação do capital, recursos médicos poderosos, baratos e não-tóxicos como a Cannabis [maconha] não podem ter seu lugar no tratamento das doenças e, ao mesmo tempo, é igualmente atropelado o direito elementar do cidadão sobre seu próprio corpo, seja para aquele uso medicinal, seja para o uso recreativo da maconha.

Nos dois casos, o grande capital conta com sua força de polícia para barrar o livre acesso da juventude e da classe trabalhadora ao medicamento cientificamente muito estudado e já amplamente utilizado mundo afora chamado Cannabis e também ao produto recreativo.

Como em tantas outras áreas o grande capital atropela direitos humanos e democráticos elementares.

Confira no vídeo abaixo as implicações disso no caso da Cannabis e as determinações que levam o sistema a barrar seu acesso a uma planta de enormes qualidades medicinais e ecológicas.




Tópicos relacionados

Legalização da maconha   /    Sociedade

Comentários

Comentar