Internacional

ESTADO ESPANHOL

Cai ministro espanhol pelos "papéis do Panamá"

Soria se demitiu na última sexta após suas incríveis "explicações". O Ministério da Fazenda multou José María Aznar por evasão de impostos. Semana horrível para o Governo de Rajoy.

terça-feira 19 de abril de 2016| Edição do dia

Depois de vários dias tentando diferentes tipos de explicações, Soria pediu demissão de seu cargo de Ministro da Indústria. A cada dia que passava o Ministro dava novas e mais insólitas explicações, inclusive contraditórias. Os documentos foram saindo pouco a pouco e cada vez mais o metiam em um lamaçal. É claro que Soria operou desde paraísos fiscais.

O Governo que o protegeu a princípio, agora "entende" que se demita. Ainda assim, Soria foi defendido pela vice-presidenta e pelo Ministro da Fazenda em aparição posterior à reunião do Gabinete. Rajoy o sustentou tanto como pôde, apenas lhe faltou a mensagem de "seja forte, José Manuel". Talvez não tenha o mesmo apreço que por Bárcenas.

O trabalho de Soria no Ministério foi muito destacado. Foi quem impulsionou a prospecção de Repsol em Canárias na busca de poços petrolíferos. Prospecções que punham em perigo todo o ecossistema da zona e que era rechaçado pela mesma população. Foi o ministro que acabou com o apoio às energias renováveis. Também cumpriu um papel central em relação ao escândalo de como se calcula o custo da eletricidade pelas grandes companhias do setor.

Sua demissão soma um novo problema a Rajoy. Já teve que ir à ministra Mato por outros escândalos de corrupção. Pelos Panamá Papers também está afetado Arias Cañete, o qual fora ministro da agricultura e agora é Comissário na UE.

Aznar não paga impostos

Foi presidente durante dois mandatos e agora é presidente honorário do PP, José María Aznar foi multado pela Fazenda em mais de 70 mil euros. Aznar tem uma investigação aberta desde 2014 por fazer manobras com "empresas-fantasmas" com o objetivo de pagar menos da metade dos impostos.

O ex-líder do PP teve uma reunião infrutífera com o Ministro da Fazenda essa semana para evitar a multa. Além disso, o ex-presidente deve pagar outra multa de quase 200 mil euros. O ministro Montoro insistiu com seu discurso de que as leis da Fazenda são iguais para todos, como sempre. Porém o certo é que nem todos possam dispor de "empresas-fantasmas", de SICAVS, de paraísos fiscais, etc. O certo é que os ricos não pagam quase nunca ou o fazem muito tarde.

O Governo em função de Rajoy está suportando múltiplos casos de corrupção desde o 20D entre seus dirigentes. Agora outro ministro é atingido e não parece ser um raio em céu sereno. Cada fez mais fica clara a verdadeira cara dos partidos de estado. O PSOE, ainda que trate de formar governo, suportou as piores eleições em quase 40 anos. O PP se juntou ao 20D e os casos de corrupção começaram a pipocar como cogumelos após a chuva.

Como dizia no outro artigo, não é uma maçã podre, é a caixa inteira. Não se pode acabar com a conivência entre políticos de estado e os grandes empresários através das instituições que eles mesmos criaram. Não se trata apenas de criar um partido político diferente. Trata-se de acabar com o regime reacionário de 78, a Monarquia e a Constituição. Trata-se de acabar com o capitalismo, fonte de toda corrupção.
Os dirigentes sindicais dizem que têm de parar os ataques contra a classe operária. Se eles acreditassem realmente nessas palavras deveriam convocar outra greve geral com mobilizações em todo o Estado para que os trabalhadores deem um soco na mesa política.




Tópicos relacionados

Panama Papers   /    Corrupção   /    Internacional

Comentários

Comentar