Política

CASTA POLÍTICA

Cabral economizou 20 milhões do próprio bolso passeando com o helicóptero do estado

quinta-feira 23 de fevereiro| Edição do dia

Os passeios de Cabral à casa de veraneio em Mangaratiba, ou mesmo de casa até o suposto “trabalho” no palácio da Guanabara, custaram caro aos cofres públicos e renderam ao governador uma ação popular por uso indevido dos veículos do estado. Os 20 milhões são calculados em base ao preço que Cabral pagou pelas mesmas viagens em janeiro e fevereiro de 2015, pago aliás pelo operadores financeiros de sua quadrilha.

Cada vôo Rio-Mangaratiba, pago com dinheiro de propina, custava 13,5 mil só de ida, segundo a investigação do Ministério Público que teve acesso às planilhas do empresário Pierre Cantelmo que alugou as aeronaves. Os valores de 2015 eram pagos em dinheiro vivo ou depósito bancário pelos operadores Renato e Marcelo Chebar.

De 2007 à 2014, Cabral não teve que gastar nestas viagens a propina que já vinha acumulando como governador do RJ, porque neste período usou 1.481 vezes os helicópteros do estado para ir e voltar de Mangaratiba aonde tem uma casa de veraneio, e mais 1.020 vezes usou o mesmo helicóptero para ir da Lagoa, aonde mora, até o Palácio da Guanabara. Este levantamento foi realizado pela Folha.

Em depoimento à Justiça estadual, Cabral diz que uso que foi por conselho da Subsecretaria Militar que apontava possíveis ameaças ao Governador e sua família. No entanto, não deixou claros os motivos de ir mais vezes às férias do que ao suposto “trabalho”.

De fato, tem muito a temer o governador dos 7 milhões em jóias com isenção fiscal, da repressão policia do RJ que é uma verdadeira máquina de matar negros e pobres através das UPPs e da “guerra ao tráfico”, assim como a mesma máquina usada contra todas as manifestações dos trabalhadores e da juventude, seja em junho de 2013 ou seja nas greves e manifestações de trabalhadores.

É para aplicar os planos dos empresários e banqueiros que tanto lucraram com as isenções fiscais ou os juros da dívida pública e dos empréstimos do estado do RJ, que a casta de políticos conta com o aparato repressivo do estado para se proteger dos protestos dos trabalhadores e do povo pobre contra seus desmandos. Seja nas viagens com o helicóptero oficial, seja para cercar a ALERJ de policiais para levar adiante a votação da privatização da CEDAE.

Os servidores do Rio amargam o preço dos privilégios que os políticos tem para aplicar os planos capitalistas e ainda roubar um bocado. Este é um dentre os milhões de privilégios com carros particulares, escoltas, bolsas paletó, e até a escola particular dos filhos que os governantes, deputados e magistrados do Rio, já quando é para pagar o salário dos servidores a União bloqueia as contas do estado do RJ. São privilegiados porque Temer e Pezão precisa que aprovem os ataques que transfere a crise capitalista aos trabalhadores! Não podemos aceitar esta chantagem, para que sejam estes capitalistas que paguem por esta crise, que todo político ganhe o mesmo salário que uma professora, não ao pagamento da dívida pública, por impostos sobre as grandes fortunas!




Tópicos relacionados

Sérgio Cabral   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar