Cultura

REPRESSÃO

CPI dos maus tratos aprova a condução coercitiva de artista que fez performance nu

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

No dia 26 de setembro, durante a abertura do Panorama de Arte Brasileira no MAM de São Paulo ocorreu a performance batizada pelo nome de "La bête", releitura da obra “Bicho” da pintora e escultora Lygia Clark. Onde artista permanecia nu deitado no chão, imóvel.

Houve grande polêmica causada por comentários de grupos conservadores criticando a performance após ver um vídeo gravado e divulgado nas redes sociais onde uma criança acompanhada de sua mãe toca os pês do artista.

Artistas em defesa da liberdade de expressão disseram quer não havia nada de erótico na performance e que a mãe da criança permaneceu ao lado dela, durante todo o tempo.

A Comissão Parlamentar de Inquérito dos Maus-Tratos no Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira, requerimentos para a convocação coercitiva do artista Wagner Schwartz, responsável por uma performance de nudez artística no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM).

Esse requerimento valerá também para Gaudencio Fidelis, curador da exposição “Queermuseu”. Após ambos não comparecerem à audiência da comissão de São Paulo, foi autorizado fazer uso de força policial para a condução do artista e do curador.

É um absurdo o ponto a que os poderes executivo, legislativo de judiciário têm chegado em sua sanha repressiva e censora, fazendo uma verdadeira "caça às bruxas" contra artistas. É preciso defender a liberdade de expressão contra esses retrocessos.




Tópicos relacionados

Censura   /    Arte   /    Senado   /    Repressão   /    Cultura

Comentários

Comentar