Mundo Operário

PARALISAÇÃO DO DIA 29

CONLUTAS aponta principais ações na paralisação nacional

quinta-feira 28 de maio de 2015| Edição do dia

Extraído do site da Conlutas

As centrais sindicais CSP-Conlutas, CUT, CTB, Nova Central, UGT e Intersindical estão chamando uma paralisação nacional para amanhã (29) contra as medidas provisórias 664 e 665 o ajuste fiscal e o projeto de lei das terceirizações (PLC 30/2015).

Nacionalmente está sendo preparado um forte dia de paralisação, com atos e ações unitárias nas principais capitais do país. Estão previstas paralisações massivas no setor de transporte, saúde, educação, dos serviços públicos em geral, além de atos com travamento de estradas e rodovias nas principais capitais com o objetivo de parar o Brasil.

Entre as reivindicações, está o arquivamento do PLC 30/2015, que amplia a terceirização no país e leva à redução de salários e direitos. Os trabalhadores também lutam pelo fim do ajuste fiscal conduzido pela presidente Dilma Rousseff, que reduziu direitos trabalhistas e previdenciários e fez cortes drásticos no Orçamento.

A paralisação é o primeiro passo para uma greve geral, salienta do dirigente da CSP-Conlutas Atnágoras Lopes. “Estão retirando todos os nossos direitos, através do Congresso Nacional com o aval de Dilma Rousseff. Essa paralisação do dia 29 vai preparar os trabalhadores para a construção da greve geral no país. Somos nós, os trabalhadores que temos mostrar para esse governo que não aceitamos que retirem nossos direitos e vamos mostrar isso parando o Brasil”.

Paralisações e atos unificados

No principal centro financeiro do país o estado de São Paulo, a adesão se ampla principalmente no setor de transporte. Estão previstas passeatas em avenidas que serão realizadas com o apoio dos movimentos sociais.

Os professores em greve da rede estadual de São Paulo se unificarão com os professores municipais que também farão assembleia nesse dia na avenida Paulista. Os servidores públicos federais vão se somar ao ato. Também está previsto um ato nas fábricas da região de Pirituba e manifestação no entorno.

No Vale do Paraíba, interior, haverá adesão dos condutores e a paralisação nas principais fábricas de metalúrgicos da região, como GM, já aprovada em assembleia.

Nos demais estados haverá paralisação geral no Ceará, com adesão e diversos setores de sindicatos filiados à CSP-Conlutas, entre os quais, trabalhadores da construção civil e servidores públicos.

Também há informe de paralisação massiva na Paraíba, Pernambuco, Pará, além do Rio de Janeiro, que contará com um ato unitário.

No Rio Grande do Sul, Bahia, Minas Gerais haverá atos e ações conjuntas com as centrais sindicais.

Confira o quadro parcial das paralisações e mobilizações integradas pela CSP-Conlutas

Ceará

Em Fortaleza (CE) vão parar os operários da construção civil, motoristas, cobradores municipais, intermunicipais e interestaduais, vigilantes, dentistas e agentes da defesa civil. Os servidores da saúde federal, da previdência social e das Universidades Federais no Estado do Ceará e do setor judiciário do estado também vão parar.

Brasília

No Distrito Federal estão convocados atos de professores às 10h no palácio do Buriti e dos servidores federais na Esplanada do Ministério. Está sendo organizado um ato/panfletagem, às 17h, na rodoviária do Plano Piloto para diálogo com a população.

São Paulo

Os professores em greve da rede estadual de São Paulo farão assembleia na av. Paulista, às 14h. Os professores municipais q também farão assembleia nesse horário em frente à sede da Prefeitura. Os servidores federais e municipais vão parar e farão atos. Todas essas categorias irão sair em passeata até a praça da República, local onde será realizado um ato unificado das Centrais Sindicais, às 17h. Neste dia também está previsto um ato nas fábricas da região da zona oeste, e atos dos movimentos populares em diversas regiões da cidade. Os trabalhadores do Sintusp farão trancaço na porta da Universidade.

No Vale do Paraíba, interior, haverá adesão dos condutores e a paralisação nas principais fábricas de metalúrgicos da região, como GM, já foi aprovada em assembleia.

Pará

O setor da construção civil vai parar os canteiros de obras no Centro e fazer arrastão do sindicato até a Praça do Operário. Os canteiros de obra da Augusto Montenegro e BR vão parar e fechar as vias dessas avenidas. Os professores federais da Universidade Federal do Pará, que estarão em greve dia 29. Os professores estaduais em greve vão se concentrar na praça da República e fazer ato até um órgão público, ainda não foi definido qual será. A concentração na praça da República será às 9 horas.

Minas Gerais

Haverá paralisação dos metalúrgicos da região de Itajubá e São João Del Rey, dos mineiros de Congonhas (MG), professores da rede municipal e estadual, servidores públicos municipais e estaduais, e ações do Movimento Popular. Haverá ato unificado das centrais sindicais, às 15h, com concentração na praça Sete.

Rio Grande do Sul

Os trabalhadores em processamento de dados do Rio Grande do Sul organizados pelo Sindppd/RS vão parar parcialmente, além dos servidores municipais de Porto Alegre e de Nova Hamburgo.

Os metroviários e os rodoviários vão aderir ao movimento.

Em Gravataí (RS), Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública Municipal também se integram ao dia. Concentração na Praça Borges de Medeiros (Centro – Gravataí), às 8h30, e Ato Público com distribuição de Carta Aberta à Comunidade às 9h. Saída do ônibus para participação do Ato Público Estadual, em Porto Alegre, às 11h30.

Haverá ato unificado às 13h.

Bahia

Em Alagoinhas, às 9h, haverá ato unificado. Em Salvador, o ato unificado das centrais será às 15h. Haverá mobilizações das Universidades Estaduais em greve.

Professores do município de Lauro Freitas param e fazem ato às 9h na cidade.

Pernambuco

Ato unificado das centrais, às 14h, e paralisação com panfletagem nas obras de Suape. Param também educação municipal e trabalhadores dos Correios, além dos docentes das universidades federais. Os professores do estado vão deflagrar a greve.




Tópicos relacionados

CSP-Conlutas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar