Sociedade

Bolsonaro testa positivo para coronavírus após tanto descaso e negacionismo

"Gripezinha", "todos nós iremos morrer um dia", "eu não sou coveiro", "e daí?". São algumas das pérolas odiosas faladas por Jair Bolsonaro, enquanto milhões de pessoas eram infectadas e milhares de pessoas morriam diariamente. Agora, o próprio contraiu a infecção viral e, diferentemente dos mais de 65 mil mortos só aqui no Brasil, as condições e recursos para a sua recuperação serão incontáveis.

terça-feira 7 de julho| Edição do dia

Bolsonaro afirmou nesta manhã estar com coronavírus e disse se sentir "perfeitamente bem", segundo nota do G1. Não podia ser diferente, dado que respiradores, leitos, condições materiais de isolamento, e toda a atenção médica necessária não vão faltar. Enquanto isso, a população continua contraindo o vírus, morrendo com a falta de respiradores, e sofrendo para poder sobreviver com desemprego altíssimo e sem conseguir sacar o auxílio emergencial.

Porém, mesmo tendo sido contaminado Bolsonaro reafirma sua postura negacionista e anticiência, minimizando os efeitos da doença e se medicando com a hidroxicloroquina da qual é defensor máximo mesmo a maioria dos estudos demonstrando ineficácia da droga.

"O cuidado mais importante é com seus entes queridos, os mais idosos. os outros também, mas não precisa entrar em pânico. A vida continua", afirmou.

As declarações mostram como nem mesmo contaminado Bolsonaro não mudará sua postura ou sua política genocida frente ao coronavírus. Uma política consciente de atendimento aos interesses dos empresários em defesa da reabertura e de sacrifício dos trabalhadores que não podem desfrutar das mesmas condições de acesso a saúde que ele e os capitalistas possuem.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Jair Bolsonaro   /    Sociedade

Comentários

Comentar