CULTURA NAS MÃOS DAS IGREJAS EVANGÉLICAS

Bolsonaro pode entregar pasta de cultura ao filho do megaempresário da fé RR Soares

Depois de acabar com o Ministério da Cultura e subordiná-lo como uma pasta do Ministério do Turismo, agora o governo Bolsonaro quer entregá-lo ao deputado Marcos Soares (DEM-RJ), filho do dono da Igreja Internacional da Graça de Deus.

quinta-feira 7 de novembro| Edição do dia

Após a exoneração de Ricardo Braga, que passará a comandar a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) do Ministério da Educação (MEC), Bolsonaro quer deixar a Secretaria Especial da Cultura nas mãos do deputado Marcos Soares. Além de ser o autor do projeto de lei que previa que todas as escolas deveriam tocar o hino nacional e para reinstituir a disciplina de Moral e Cívica, relembrando os tempos da ditadura, Marcos Soares tem em seu currículo o fato de ser filho de RR Soares, o pastor fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, uma empresa multimilionária da fé.

Outro projeto de Marcos Soares foi o de um requerimento a uma comissão especial na Câmara pedindo a realização de audiência pública sobre "Os riscos da realização do aborto e as suas consequências - tanto na esfera judicial quanto emocional", mostrando que se alinha ao pai na luta contra qualquer direito elementar das mulheres sobre o próprio corpo.

Bolsonaro tem na bancada evangélica um de seus principais aliados políticos e a linha de frente de diversos projetos reacionários. Entregar a pasta de cultura nas mãos desse setor conservador seria mais um “agrado” para manter a amizade.

A pasta de cultura também é cobiçada por Roberto Alvim, diretor de teatro que está à frente da Funarte e que já declarou querer fazer desta uma máquina de guerra cultural a serviço da extrema-direita.

Qualquer dos nomes que seja escolhido, está em consonância com o projeto de Bolsonaro de impor a censura e acabar com qualquer possibilidade de produção cultural crítica e independente no país. Tirar os órgãos de cultura das mãos dessa extrema-direita implica em um combate a todo esse projeto reacionário de Estado.




Tópicos relacionados

Igrejas Evangélicas   /    Governo Bolsonaro   /    Bancada da Bíblia   /    cultura

Comentários

Comentar