Homofobia

Bolsonaro homofóbico faz "piada" com ofensa à LGBT’s no Maranhão

"Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?" diz o presidente que tem como projeto de governo a perseguição às minorias LGBT+.

quinta-feira 29 de outubro| Edição do dia

Foto:Sérgio Lima/AFP

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro em sua primeira visita oficial ao Maranhão, fez mais uma de suas piadas homofóbicas. Saindo da capital São Luís rumo à cidade de Imperatriz (MA) para o segundo compromisso do dia, Bolsonaro expressou sua característica homofobia após beber um copo de Guaraná Jesus, bebida típica do estado. Sem máscara, assim como muitas pessoas da grande aglomeração que se formou, o presidente usou como pretexto para tentar fazer graça a cor rosa da bebida. Logo após tomar o Guaraná Jesus, ele começou a fazer piadas com as pessoas próximas, enquanto sua equipe fazia uma transmissão ao vivo em suas redes sociais.

"Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?", disse o presidente entre risadas. "Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense", complementou Bolsonaro, exibindo a bebida.

Essa fala soma-se aos vários outros atos homofóbicos de Jair Bolsonaro em seus 30 anos de vida pública e escancara mais uma vez o caráter de seu governo.

Pode interessar: “Máscara é coisa de ‘viado’”, diz Bolsonaro, escancarando homofobia e negacionismo

Leia também: Ministro da educação destila sua LGBTfobia

Piadas como essa, que saem da boca do presidente da república, vão muito além da estratégia de cortina de fumaça ou de uma simples brincadeira. Elas representam o projeto desse governo reacionário e preconceituoso que, com o apoio da bancada evangélica e do fundamentalismo religioso, ataca os direitos das minorias LGBT+. Um exemplo desses ataques é o episódio recente em que o governo Bolsonaro entrou com um recurso contra a criminalização da homofobia, direito conquistado em junho do ano passado em que o crime de homofobia foi equiparado ao crime de racismo.




Comentários

Comentar