Sociedade

CAXIAS DO SUL

Bolsonarista Daniel Guerra quer mais repressão armando Guarda Municipal com espingardas

terça-feira 19 de fevereiro| Edição do dia

O prefeito bolsonarista de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), alinhado com a agenda repressiva de Bolsonaro e de Moro, arma 40 agentes da Guarda Municipal da cidade com espingardas calibre 12, contando inclusive com munições letais.

Reflexo do reacionarismo nacional e do conservadorismo da cidade, a medida visa fortalecer o aparato repressivo de uma das cidades mais racistas do estado, no país que mais mata jovens negros nas mãos da polícia. A Guarda Municipal da cidade já é conhecida por seus métodos brutais que muitas vezes são mais violentos até mesmo do que a Brigada Militar, centrando seus “esforços” em remover moradores de rua das praças da cidade, dar “atraques” em jovens da periferia, reprimir a vida noturna da cidade e combater o “comércio ilegal”, retirando a única fonte de renda de muitas famílias indígenas e imigrantes senegaleses e haitianos.

Com o novo pacote “anticrime”, Sergio Moro permite maior liberdade para os policiais assassinarem, legalizando a impunidade prevendo "legítima defesa" sob “medo, à surpresa e à violenta emoção”. Um precedente que fará ainda mais generalizado a perseguição aos negros e pobres.

O racismo estrutural no Brasil naturaliza todo esse cotidiano violento que os negros e pobres são expostos e legitimam toda ação racista, em especial quando cometida pelas mãos da polícia. Isso nos mostra que o capitalismo nunca vai oferecer uma vida digna ao povo negro, no capitalismo, crianças, jovens e trabalhadores negros e pobres, vão morrer, é disso que o capitalismo se fortalece e desumaniza nossas vidas cotidianamente.




Tópicos relacionados

Guarda Municipal   /    Daniel Guerra   /    Caxias do Sul   /    Repressão   /    Sociedade   /    violência policial

Comentários

Comentar