Política

CRIMES DA DITADURA

Bolsonaro relativiza morte de Herzog: "suicídio acontece"

Na mesma semana em que a Corte Interamericana de Direitos Humanos considerou o Brasil como responsável pela falta de investigação ao assassinato do Jornalista Vladimir Herzog, Bolsonaro (PSL-RJ) em uma declaração relativizou a morte do jornalista, que disse lamentar, mas que segundo ele não há comprovações de seu suicídio. "Da minha parte, é passado. Tem a Lei da Anistia então está tudo pacificado", afirmou também o deputado.

segunda-feira 9 de julho| Edição do dia

Jair Bolsonaro (PSL), pré c-candidato a presidência, se lamentou pela morte do Herzog no período da ditadura militar, mesmo não reconhecendo que o Herzog foi torturado sob mando e controle do DOI/Codi, em São Paulo. Segundo o próprio, não tem como ter confirmações de torturas, que seria mais considerável o caso de suicídio.

Durante o programa Mariana Godoy, em entrevista a rede TV, Bolsonaro colocou que existe uma vitimização em cima da morte de Herzog, que ele lamenta muito a morte ,mesmo não sabendo das circunstâncias, sendo suicídio ou torturado. Mas segundo o mesmo, disse que suicídio é muito praticado, que Herzog poderia ter sim se suicidado, porque segundo ele os militares não tinha porquê torturar e matar Herzog.

Bolsonaro é a cara mais escancarada do conservadorismo mais machista, racista e homofóbico, típicos do período da Ditadura Militar que tanto defende. Não à toa, em sua fala o deputado reivindicou a Lei da Anistia, que assegurou a impunidade a este e tantos outros crimes cometidos na ditadura, "Da minha parte, é passado. Tem a Lei da Anistia então está tudo pacificado".

E nessa mesma semana o Brasil é considerado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos, como responsável pela falta de investigação ao assassinato do jornalista Vladimir Herzog, em 1975, na época que trabalhava na TV cultura. Para as autoridades da época, a morte de Herzog foi um caso de suicídio, porém as investigações constam que não, pois altura que estava amarrado a janela, era menor do que sua altura, o que dificulta muito o ato de se suicidar.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Ditadura militar   /    Política

Comentários

Comentar