Internacional

CRISE DOS IMIGRANTES NO MEDITERRÂNEO

Barco com 59 imigrantes é impedido de entrar na Itália e em Malta

segunda-feira 2 de julho| Edição do dia

Com cinco mulheres e quatro crianças, um barco com imigrantes de várias nacionalidades resgatado na Líbia, já retornava ao país de origem, quando foi desviado para Barcelona, depois de Itália e Malta se recusarem a receber os imigrantes.

A embarcação administrada pela organização espanhola Proactiva Open Arms, estava voltando para casa, até que recebeu uma oferta da prefeita de Barcelona Ada Colau. A prefeita denunciou em um tuíte as “políticas desumanas e portos fechados na Itália e em Malta” e disse que o barco chegaria a Barcelona na quarta-feira (04).

Apesar do declínio nas chegadas, ainda há histórias diárias de desastres, à medida que os migrantes fazem a perigosa travessia da África para a Europa. A Guarda Costeira da Líbia disse que cerca de 100 pessoas possivelmente se afogaram em Trípoli na sexta-feira.

Na sexta-feira(29), líderes da União Europeia chegaram à um acordo que não obriga nenhum país da UE a dividir a responsabilidade pelos resgastes no Mediterrâneo. Mostrando a política xenofóbica e imperialista dos principais países da União Europeia, que fogem da guerra causada pelos próprios países imperialistas.




Tópicos relacionados

Imigrantes   /    Europa   /    Internacional

Comentários

Comentar