Sociedade

MINERAÇÃO – MINAS GERAIS

Barão de Cocais: enquanto a lama não chega, Vale já destrói milhares de vidas

Comércio fechado, doenças, tentativas de suicídio, terror permanente, são algumas das expressões do caos que estão vivendo os moradores de Barão dos Cocais, em MG, sob a ameaça de rompimento iminente da barragem Sul Superior da Vale.

sexta-feira 24 de maio| Edição do dia

A revoltante situação na qual se encontram mais de 10 mil pessoas desde que o nível de segurança da barragem passou para 3, indicando risco iminente de ruptura, escancara a crueldade capitalista imposta aos trabalhadores e ao povo pobre em nome da manutenção dos lucros exorbitantes dos magnatas da mineração.

Apenas 4 meses após o crime capitalista da Vale em Brumadinho, uma das maiores "tragédias" que nosso país já viu, a população dessa pequena cidade vive dias de pânico. A iminência de que um mar de lama invada a cidade em qualquer momento já traz impactos drásticos no dia a dia dos moradores e trabalhadores: a única agência dos Correios está fechada desde segunda-feira e os bancos também resolveram fechar as portas.

O hospital do município vive lotado e já foram registrados 6.000 mil atendimentos a mais no setor de saúde em relação ao mesmo período do ano passado. Uma verdadeira calamidade na saúde é relatada pela população. Segundo o prefeito, a Vale fez promessas sobre um possível "auxílio", que não ocorreu: "A mineradora se comprometeu a nos ajudar, mas ainda não efetuou essa ajuda".

São diversas famílias que abandonaram suas casas, trabalhadores sem recebimentos de seus salários e uma cidade assombrada pelo fantasma de Brumadinho, cidade vítima do crime hediondo que chocou o país e o mundo e até hoje permanece sem respostas contundentes. E mais: são diversas as barragens com iminência de rompimento ainda.

O estudo de impacto do rompimento da barragem Sul Superior, chamado dam break, da mineradora Vale, em Barão de Cocais (a 93 km de Belo Horizonte), aponta para a morte de moradores e “inundação generalizada de áreas rurais e urbanas” em três municípios. Além de Barão de Cocais, os municípios a serem possivelmente afetados pela lama são Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo.

Os relatórios apontam também “problemas relacionados ao abastecimento de água nas comunidades ribeirinhas e irrigação nas regiões abastecidas”, com “possíveis interrupções nos acessos locais de terra, rodovias, linha de transmissão e fornecimento de energia”. E diante da degradante situação em que se encontram desde já os habitantes destes locais, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), deixa bem claro o que pensam os capitalistas sobre as vidas dos trabalhadores. Disse: "Pior do que um fato ruim é a possibilidade de um fato ruim acontecer".

É inaceitável que os governantes e os capitalistas sigam com essa criminosa postura de garantir os lucros das mineradoras às custas de nossas vidas! Após a imensa tragédia que foi o crime de Mariana, e há poucos meses Brumadinho, Zema segue com uma forte política privatista que está por trás desses crimes ambientais, e uma postura de defesa da Vale, a vida de centenas de pessoas não valem nada para os empresários e governantes.

Veja também: Barão de Cocais à beira de ruptura de barragem da Vale: 3 pontos para um plano de urgência

Urge que os sindicatos e entidades estudantis, como a CUT e a UNE, impulsionem um verdadeiro plano de emergência para atender as necessidades desses trabalhadores, tirando do bolso da Vale que é a responsável por todos esses crimes; junto à campanha pela estatização da Vale sob gestão de trabalhadores e controle popular, denunciando esta absurda situação da cidade de Barão de Cocais e das demais, e a política privatista e de descaso de Zema.




Tópicos relacionados

Barão de Cocais   /    Romeu Zema   /    Vale    /    Minas Gerais   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Sociedade

Comentários

Comentar