Educação

CORONA VÍRUS/UFRGS

Aulas suspensas na UFRGS: estudantes do teatro exigem liberação remunerada de terceirizados

Reproduzimos abaixo nota do Centro Acadêmico do Teatro da UFRGS que exige a liberação remunerada de todos os trabalhadores da universidade, em especial os terceirizados, bem como outros pontos para se avançar num combate real ao corona vírus.

segunda-feira 16 de março| Edição do dia

Ontem (15/03) a UFRGS informou a suspensão das aulas até o dia 05 de abril por causa do coronavírus, seguindo a linha de diversas outras universidades. Nós, do Centro Acadêmico Dionísio, diante de um cenário de muita desinformação sobre o vírus e de alarmismo sobre a questão, achamos imprescindível que todas e todos se coloquem a pensar: para quem estão sendo pensadas essas medidas de prevenção? Na nota divulgada pela UFRGS consta que apenas as aulas de graduação e pós estão suspensas, afirmando que as demais atividades administrativas e operacionais serão avaliadas.

A questão que colocamos é: por que apenas os estudantes são liberados para se prevenir do coronavírus enquanto os técnicos e as/os terceirizadas/os são obrigados a continuarem sua rotina de trabalho, pegando ônibus lotados e tendo que bater ponto? O setor terceirizado da universidade é o setor mais precarizado, com salários baixíssimos e condições de trabalho altamente vulneráveis.

Exigimos que as/os trabalhadores, principalmente terceirizadas e terceirizados, sejam imediatamente liberados com remuneração, defendendo também sua efetivação sem necessidade de concurso público! Exigimos que estudantes bolsistas, devem seguir recebendo o valor dos seus auxílios e benefícios integralmente e que cada estudante receba em dinheiro o valor necessário para que possa se alimentar no período de suspenção de aulas, para que os trabalhadores do RU sejam liberados.

• Chamamos todos os DAs, CAs e DCE para também se unificar nessa exigência, defendendo também a revogação da PEC do Teto de Gastos, aprovado por Temer e aprofundado por Bolsonaro, que congela os gastos em educação e saúde por 20 anos. Se torna impossível que o Sistema Único de Saúde (SUS) consiga atender toda a demanda causada pela pandemia do CoronaVírus frente ao congelamento de investimentos e a precarização do SUS.

• É uma medida emergencial derrubar essa PEC para investir em novos leitos de UTI que possam suprir as necessidades da população, para responder a pandemia do coronavírus. Além disso, é urgente a centralização de todo sistema de saúde, incluindo toda saúde privada (desde os grandes laboratórios até as clínicas hospitalares e hospitais privados), sob gestão pública e controle dos trabalhadores e especialistas, garantindo leitos gratuitos e atendimento à toda população. Não podemos permitir que empresas continuem lucrando enquanto a população adoece por causa do vírus, sem dinheiro para pagar o custo da saúde privada.

• É de responsabilidade do Estado buscar todas as medidas possíveis para que possamos responder da melhor forma a essa pandemia, investindo na saúde pública, garantindo a distribuição gratuita de tudo que for necessário para a detenção temporária da infecção: desde os elementos básicos (álcool em gel, sabonetes, máscaras, luvas, etc.) até os necessários kits de teste para que se realizem de forma gratuita e massiva em todos os que tenham sintomas, com os trabalhadores assumindo o controle dos grandes laboratórios privados e decidindo democraticamente a prevenção para toda a população.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Saúde Pública   /    Teatro UFRGS   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Educação   /    Saúde

Comentários

Comentar