Economia

RIO DE JANEIRO

Ato no Rio critica ajuste fiscal e gastos das olimpíadas

Carlos Neira

RIO DE JANEIRO

sexta-feira 29 de janeiro de 2016| Edição do dia

Na manhã de quinta-feira, 28 de Janeiro, aconteceu a manifestação "Olimpíadas para quem" na frente do Museu do Amanhã na reformada Praça Mauá na zona portuária do Rio de Janeiro.

O protesto acontece ao mesmo tempo em que dentro do museu ocorre o Seminário "Os Jogos Olímpicos e a Transformação do Rio de Janeiro" com Paes, Pezão e o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman à cabeça. Na frente do museu, um forte contingente policial cercava o prédio. Mesmo sendo pacífico policiais revistaram os manifestantes presentes.

O evento é organizado pela rede Globo e pela Odebrecht, empresa reconhecida pelo seu envolvimento em esquemas de corrupção e uma das grandes beneficiadas com os investimentos nas obras das Olimpíadas.

O ato crítica os gastos bilionários em obras relativas à copa e às olimpíadas e situação crítica em que se encontram os serviços públicos especialmente a saúde do Estado e a pouquíssima transparência sobre as verbas envolvidas nestes projetos.


Participaram do ato movimentos sociais como o da Vila Autódromo e jovens, principalmente da precarizada Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e também a Juventude às Ruas.


Confira as entrevistas com os organizadores e participantes do ato:




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Economia

Comentários

Comentar