JUSTIÇA POR JORDY

Ato na comunidade do Oziel em Campinas-SP, pede justiça por Jordy assassinado pela polícia de Jonas Donizette

Ontem moradores do bairro da Reforma Agrária fizeram ato próximo a escola onde Jordy Moura, um jovem negro de 15 anos que foi assassinado com um tiro nas costas pela Guarda Municipal de Campinas sob comando do prefeito Jonas Donizette, exigindo justiça por esse bárbaro assassinato ocorrido a dois meses atrás, no início da pandemia. O guarda municipal racista e demais envolvidos na morte de Jordy seguem livres.

sábado 6 de junho| Edição do dia

A concentração do ato foi na Caixa D’água do Jardim Monte Cristo, na Comunidade do Oziel que juntou algumas dezenas de pessoas. Jordy Moura era morador do bairro da Reforma Agrária que cruelmente assassinado pela guarda municipal de Campinas com um tiro nas costas no domingo de manhã do dia 5 de abril, no início da pandemia. De acordo com testemunhas, ele sofreu um disparo durante uma ação da GM. O tiro perfurou seu jovem corpo e atingiu também o de seu irmão de 26 anos, com quem estava andando de moto. Nós, do Esquerda Diário comparecemos ao ato com os professores Guilherme Zanni, também membro do Quilombo Vermelho, e Lívia Tonelli.

Veja o vídeo:

Os agentes da guarda municipal negaram-se a socorrer Jordy, chamando o de “vagabundo”, mostrando o quão sistemático, cruel e profundamente racista é esse padrão de comportamento das polícias no Brasil e no mundo que atiram em todo corpo negro que veem sem perguntar e negam socorro, ou sejam, matam cruelmente, como vimos em inúmeros casos, o de João Pedro no Rio de Janeiro, Juan Ferreira em São Paulo e George Floyd nos Estados Unidos, isso para citar os casos mais noticiados na mídia. Além disso, essa semana com a morte do menino Miguel no Recife, a pandemia mostra quem são os que mais morrem nessa pandemia pelo racismo estrutural que reina nas escolas, hospitais, bairros e, intrínseca e especialmente, nas polícias.

O ato pediu justiça, pois a morte de Jordy segue sem resolução, já que o assassino e cúmplices da guarda municipal do prefeito Jonas Donizette seguem livres.

Pode interessar também: Nota de repúdio a morte de Jordy

Por isso, nós do Esquerda Diário, exigimos uma investigação independente com moradores da comunidade, coletivos, organizações sociais e sindicatos por justiça a Jordy, por que a polícia racista e assassina que executa não pode ser aquela que levará até o fim uma investigação que traga justiça e puna os culpados. A fúria negra toma que toma as ruas do Estados Unidos tem potencial de se espalhar, uma vez que, ainda mais durante a pandemia, são os negros que mais sofrem com os trabalhos precários, com a mortes por Covid-19, com o desemprego e com a repressão policial. No domingo às 15h, vai acontecer um ato no centro de Campinas contra o genocídio da população negra. Chamamos todos a comparecem ao ato para enfrentamos o estado racista que reserva aos negros valas e que também se enfrente com a crise política do país que se agudiza desde do golpe de 2016 e das eleições manipuladas de 2018, por isso é necessário que defendamos uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana para o povo decida contra as medidas autoritária dos militares e do governo Bolsonaro, por um lado, e do STF, por outro, que estão preocupados com seus privilégios e com o lucro dos patrões e não com as vidas negras. Vidas Negras Importam.

#JustiçaParaJordy




Tópicos relacionados

Violência racista   /    Racismo   /    violência policial   /    Campinas   /    [email protected]

Comentários

Comentar