Internacional

Black Lives Matter

Ativistas anti-racismo em Denver (EUA) são presos, acusados de vários crimes

Ontem, dia 17 de setembro, pelo menos seis ativistas anti-racistas foram presos em um ato de retaliação orquestrado. Enquanto os assassinos do jovem negro Elijah McClain permanecem em liberdade, os policiais ameaçam manifestantes, militantes de esquerda em particular, com décadas de prisão. O Left Voice (publicação estadunidense irmã do Esquerda Diário) se solidariza com todos os presos e exige que todas as acusações sejam retiradas.

sexta-feira 18 de setembro| Edição do dia

Em 17 de setembro, seis líderes de protestos, incluindo quatro membros do Partido do Socialismo e Libertação (PSL), foram presos em Denver, Colorado, em uma ação policial orquestrada. Os presos agora estão sendo ameaçados com uma enorme lengalenga de acusações criminais falsas, incluindo “sequestro”. Quatro dos indivíduos presos - Russel Ruch, Lillian House, Joel Northam e Eliza Lucero - são líderes do protesto que denunciaram os crimes da polícia do Colorado, principalmente o assassinato racista de Elijah McClain. A repressão contra esses ativistas, e muitos outros, é nada menos do que uma retaliação do estado e da polícia. Como uma declaração PSL expôs,

““Este ataque ao movimento anti-racista de Denver e ao PSL é parte de um ataque organizado ao movimento Black Lives Matter a nível nacional, um ataque dirigido diretamente da Casa Branca, das mansões dos governadores e dos chefes de polícia locais e demais departamentos de polícia ao redor do país."”

Fica claro pelo modo como as prisões foram feitas que a polícia de Denver está tentando punir e intimidar ativistas. Russel Ruch, por exemplo, foi seguido até a loja varejista Home Depot e preso no estacionamento; Lillian House foi cercada por cinco carros de polícia enquanto dirigia; e uma equipe de policiais do SWAT (policia especial, equivalente no Brasil ao BOPE ou GATE) foi enviada para a casa de Joel Northam. De acordo com informações contidas nas 30 páginas dos depoimentos de prisão, a polícia usou filmagens ao vivo, transcrições de ligações telefônicas e postagens nas mídias sociais para construir um caso criminal contra os presos. Essas prisões orquestradas, que utilizaram vigilância e força bruta, visam instilar medo em todos os ativistas da região de Denver. “Proteste e você pode ser o próximo” é a mensagem transmitida. E a lista absurda de acusações criminais, conhecida como “acumulação de acusações”, significa que os ativistas presos podem enfrentar anos, senão décadas, de prisão.

A prisão desses líderes em Denver faz parte de uma grande repressão nacional ao movimento Black Lives Matter. Em todo o país, manifestantes foram bruscamente retirados das ruas pela polícia ou pelas forças federais em veículos não identificados. Na cidade de Nova York, o departamento de polícia (NYPD) usou um software de reconhecimento facial para encontrar e assediar um ativista do Black Lives Matter. E no início deste mês, em Washington, agentes federais atiraram, sem avisar, no ativista de Portland, Michael Reinoehl, enquanto ele caminhava para o seu carro.

O Left Voice denuncia as tentativas de reprimir ou de intimidar ativistas anti-racismo e anti-polícia. É inaceitável que o estado, sob o comando de líderes dos partidos Republicano e Democrata, ataque e intimide ativistas que lutam por justiça racial, enquanto os assassinos de Elijah McClain, Breonna Taylor e muitos outros andam soltos. A verdadeira ameaça à segurança pública pode ser encontrada em cada delegacia, em cada prefeitura e em cada posto de poder político.

Pela retirada das acusações contra os ativistas do PSL em Denver – Liberdade a todos os manifestantes presos!

Para assinar a petição do PSL pela retirada das acusações,clique aqui
Para doar para defesa legal do PSL, clique aqui




Tópicos relacionados

#BlackLivesMatter   /    Racismo   /    Violência policial   /    Internacional

Comentários

Comentar