Educação

FSA

Ata do Conselho Diretor prova traição dos Conselheiros e cinismo da Reitoria com os estudantes da FSA

A ata disponibilizada da reunião do Conselho Diretor desta terça-feira (14), onde foi mantido o aumento das mensalidades por 9 votos contra 2 e uma abstenção, mesmo após 9 dos 13 conselheiros terem se comprometido em Assembleia dos Estudantes em votar pela revogação como negociação para que os alunos desocupassem o prédio da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FAFIL).

terça-feira 14 de novembro| Edição do dia

A ocupação dos estudantes tinha muito força, pois acontecia nas vésperas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), no prédio onde seriam realizadas as provas. Segundo a ata "o Professor Agostinho fez uma fala de modo a sensibilizar os estudantes de que a não ocorrência do ENEM causaria transtornos para aqueles que depositavam seus sonhos na entrada da universidade e que isso precisava ser considerado". O que parece que eles se "esquecem" é que o ENEM é um filtro social que impede milhares de jovens de ter acesso ao direito de um ensino superior público, mas não só isso, nós estudantes trabalhadores também temos um sonho de nos formamos, mas o aumento das mensalidades é a outra cara da moeda do elitismo do ensino superior, que expulsa os jovens, aumentando não apenas o número de inadimplentes, mas também de evasão dos cursos. Por isso nossa luta é pela fim do vestibular e a estatização de todas as universidades privadas para garantir acesso irrestrito e permanência estudantil.

A administração da universidade propôs manter o aumento das mensalidades para os calouros e suspender o aumento para os veteranos, numa tentativa de dividir os estudantes dando a impressão que não iriam nos atingir. Porém, a ata deixa claro que essa suspensão é uma manobra, pois se daria apenas até que seja definido o orçamento de 2018 e hajam recursos captados pela cobrança externa (processos judiciais) aos inadimplentes. Ou seja, seguem perseguindo os inadimplentes que foram expulsos pelos aumentos de mensalidades consecutivos. Os conselheiros para fundamentar a sua traição aos estudantes, apresentaram dados que "comprovariam" a impossibilidade da revogação do aumento da mensalidade para garantir um equilíbrio financeiro. Apenas o Conselheiro Vanderlei propôs não definir o aumento da mensalidade para os calouros, já os demais propuseram outras iniciativas, mas já aceitando a proposta de aumento, indo contra o que se comprometeram na assembléia dos estudantes.

Não aceitaremos essa traição dos Conselheiros! Não aceitamos nenhum aumento e nem a divisão que querem criar entre calouros e veteranos. Assim como não aceitamos que sigam perseguindo os inadimplentes, exigimos novamente a anistia da dívida. Queremos que toda a juventude da região do ABC possa garantir uma vaga na FSA com mensalidades acessíveis e com direito a bolsas e demais políticas de permanência estudantil. Esses dados apresentados pelos Conselheiros na reunião do CONDIR são a prova que já estavam se preparando para nos trair! Mas não confiamos nesses dados, e seguimos exigindo a abertura dos livros de contabilidade para que investiguemos a crise da universidade.

Cobrança à Prefeitura e Inadimplentes

Após a denúncia dos estudantes que participaram da reunião da imposição do aumento de mensalidade, os Conselheiros dedicaram um longo tempo da reunião para tentar provar como essas instâncias são fóruns legítimos e democráticos. Mas aparentemente, eles ainda vivem na Idade Média, pré revolução francesa, pois a FSA assim como as universidades no Brasil ainda não alcançaram o sufrágio universal, de cada cabeça um voto. Assim, nós estudantes, que somos a esmagadora maioria da universidade, seguimos com apenas 1 representante contra 12. Não é díficil perceber que estes Conselhos e a própria Reitoria é um corpo separado dos estudantes que está a serviço de manter a universidade de classe, a partir dos mandos das prefeituras.

A Conselheira Dinah como está expresso na ata, se colocou contrária a cobrança de milhões de reais que a Prefeitura de Carlos Grana (PT) acumulou recebendo repasses indevidos da universidade. Queremos saber para onde foi este dinheiro e que a prefeitura se responsabilize pela crise econômica da universidade.

Sobre os inadimplentes, além da perseguição novamente legitimada, a administração propôs uma negociação que de entrada seria 5% da dívida e depois parcelada em até 24 meses. Assim, mais uma vez fica claro qual o projeto de universidade da Reitoria. Mas o movimento estudantil também tem um projeto alternativo: queremos a redução radical das mensalidades e anistia dos inadimplentes, rematricula imediata de todos que queiram estudar! Assim podemos triplicar o número de alunos. A força está na organização dos estudantes para impor um projeto de FSA à serviço dos trabalhadores.

Saiba quem são os Conselheiros que traíram os estudantes da FSA

Simone Jaconetti Ydi (Presidente da reunião);

Professora Herminia Moraes dos Santos (Diretora do Colégio);

Eliana Marques Barbosa Gomes (representante dos pais do colégio);

Professor Rodrigo Cutri (Representante dos docentes do centro universitário);

Professor Vanderlei Mariano (Representante dos docentes do centro universitário);

Denis Mota das Neves ( Representante dos discentes do centro universitário);

Kleber Okumura Paiva ( Representante dos sindicatos e demais segmentos sociais);

Marcia Teixeira Garcia ( Representante dos funcionários técnico-administrativos)

Humberto Costa Sobrinho (Representante dos trabalhadores do município).

Veja o vídeo que eles se comprometeram:




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar