Política

SUPERSALÁRIOS NA PREFEITURA DO RIO

Assessores de Crivella recebiam salários de até R$ 33 mil

De acordo com o levantamento feito pelo G1 com base em dados do site de transparência da cidade do rio de janeiro, o prefeito da cidade do rio de janeiro, Marcelo Crivella, tem concedido privilégios a seus apadrinhados em seu gabinete na prefeitura. Sete dos cargos comissionados nomeados pelo prefeito do rio recebiam salario acima do teto constitucional. Após denuncia, os salários foram reduzidos para R$ 24 mil.

segunda-feira 15 de maio| Edição do dia

Na lista aparecem o seu chefe de gabinete, Ailton Cardoso da Silva, e a secretaria de fazenda Maria Gouvêa Berto, que cuida das despesas da cidade e que vem atacando a população com medidas impopulares em nome do seu plano de austeridade.

Entre os servidores, 0,8% ganhavam mais do que o teto constitucional de R$ 27.422,30, o que representava 5% da folha de orçamento com os servidores municipais. Até então não eram considerados nos cálculos da prefeitura os rendimentos por indenizações, gratificações, empregos de confiança e outros encargos. Todo o salário desses comissionados saia dessas rubricas, o que fazia com que, na prática, não tivessem teto. O salário bruto do chefe de gabinete do prefeito, por exemplo, foi de R$ 33,8 mil em março. Desse valor, R$ 12,1 mil foram classificados como emprego de confiança e R$ 21 mil como encargos especiais e jeton. Nenhum dos salários era considerado pelo cálculo do teto. O mesmo acontece com os outros comissionados com supersalários nomeados por Crivella. A maioria está na Secretaria de Fazenda.

Essas gratificações representam ao todo 164 milhões ao mês, isso representa 38% de toda a folha de pagamento da prefeitura.

Após feitas denuncias dos supersalários da prefeitura, o prefeito do Rio assinou um decreto que, de acordo com ele, acaba com os supersalarios, mas o teto de R$24mil (que representa 25 salários mínimos) ainda mantém os privilégios dos apadrinhados de Crivella, sem tirar as gratificações que representam 38% de toda a folha salarial da cidade do rio.

Provocado pela crise, o prefeito Crivella vem fazendo vários cortes com sua política de austeridade econômica, penalizando em sua grande parte servidores do Rio com salários atrasados, estudantes da rede pública com corte no passe livre escolar, enquanto os políticos e seus apadrinhados continuam ganhando altos salários nos seus cargos comissionados.




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar