Política

TABATA AMARAL

Após votar pelo fim da aposentadoria, Tabata Amaral é defendida pelo golpista Luciano Huck

Patrocinador do grupo Renovabr, grupo político que lançou a deputada, Luciano Huck sai em defesa da mesma, em relação desgaste político com o seu próprio partido após sua votação favorável à reforma da previdência, contrariando a orientação partidária do PDT.

terça-feira 16 de julho| Edição do dia

Nesta última sexta-feira (12), O apresentador global, Luciano Huck, que, além de patrocinador de movimentos ligados a políticos, possui ligações fortes com políticos da direita liberal, em especial do PSDB, saiu em defesa da deputada federal pelo PDT, Tabata Amaral, após seu intenso desgaste político posterior ao seu voto favorável ao projeto de desmonte da previdência proposto no governo Bolsonaro.

Contrariando orientação do partido, com sinalização de expulsão para quem o fizesse, e contrariando até mesmo recomendação advinda do próprio Ciro Gomes, a deputada tornou clara suas intenções alinhadas com a demanda dos setores neo-liberais que buscam atentar contra os direitos dos trabalhadores em nome de uma crise gerada pelos grandes capitalistas. Gerando opiniões adversas em parte de seu próprio eleitorado, uma roupagem mais a esquerda em que Tabata Amaral poderia camuflar-se, devido ao histórico de seu partido, sua, constantemente citada, origem humilde e suas falas voltadas à educação e em oposição ao ex-ministro Ricardo Velez, acabou por cair nos últimos dias por sustentar seu voto, mesmo em meio a um rechaço em grandes escalas por parte da população. A partir disso, começou-se a suscitar a possibilidade de expulsão de Tabata Amaral do PDT, e ainda, sobre a influência da chamada “bancada Lemann” nas ações da deputada.

Luciano Huck, por sua vez, ante a ameaça de expulsão da deputada, faz afirmações positivas, como: “As velhas raposas da política, que nas últimas eleições escancaradamente lustraram suas imagens no verniz dos jovens candidatos da renovação incubados pelos movimentos cívicos, agora destemperam e agridem tentando levar vantagem”, “Não entenderam que junto com a renovação vem a coragem e a independência para remar a favor do país e não de interesses eleitoreiros”. Lembrando que Luciano Huck possui um histórico de apoio ao PSDB, partido com agenda neo-liberal de direita, sendo notado, inclusive, como um dos principais apoios à candidatura presidencial de Aécio Neves em 2014. PSDB que, também, é o partido do relator do projeto da reforma da previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP)

Quem também demonstra apoio e elogios a deputada, após sua postura, é o deputado Alexandre Frota, do PSL (partido de Bolsonaro), que chegou a afirmar, em um cenário de expulsão que o PSL estaria de “braços abertos” para a candidata. Outra organização que homenageou a deputada foi o MBL, que a parabenizou por votar favorável a reforma, mesmo correndo o risco de ser expulsa do partido.

O fato é que, após a enxurrada de polêmicas e contradições em que caiu a deputada, após a votação da reforma, seu apoio político tem chegado de cada vez mais a direita, o que acaba por evidenciar por onde caminha sua política, assim como fica cada vez mais difícil sustentar a base de centro-esquerda que a impulsionava.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    PDT   /    Ciro Gomes   /    Luciano Huck   /    Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar