Política

GOVERNO TEMER

Após votar contra trabalhadores, filha de Roberto Jefferson é nomeada Ministra do Trabalho

quarta-feira 3 de janeiro| Edição do dia

Temer, que não sossega em sua corrida para comprar o apoio para a Reforma da Previdência, nomeou a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho. Ela vai substituir o deputado federal Roberto Nogueira, que pediu demissão no último dia 27, para se dedicar à sua campanha para reeleição em outubro deste ano.

Filha de Roberto Jefferson, condenado e pivô do escândalo do mensalão, Cristina Brasil votou a favor de ataques históricos aos trabalhadores, a saber: Reforma Trabalhista, PEC do fim do mundo, Lei da Terceirização para todas as atividades, além de ter votado para livrar o golpista Michel Temer da abertura de investigação pelo escândalo de corrupção da JBS.

O anúncio veio primeiramente do próprio Roberto Jefferson que, após encontro com o presidente no Palácio do Jaburu, afirmou ter sido ideia do próprio Temer a indicação de Cristiane e, em declaração no mínimo cínica e cheia de lágrimas, disse que a nomeação de sua filha é um “resgate” à sua imagem, após sua condenação e prisão pelo envolvimento no mensalão.

Roberto Jefferson pretende sair como candidato a deputado estadual por São Paulo nas eleições deste ano, a fim de alavancar a presença de seu partido, o PTB, no maior colégio eleitoral do país. Já sua filha, para assumir a pasta, abriu mão de sua candidatura.

Primeiro nome cogitado para ocupar a pasta foi vetado por José Sarney, mas se mantém firme no apoio à Reforma da Previdência

O primeiro nome cogitado para ocupar o cargo de Ministro do Trabalho era o deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA), que é aliado de um adversário de Sarney, o atual governador do Maranhão Flavio Dino (PcdoB-MA).

Sarney nega o veto do nome de Fernandes, mas mesmo sem ocupar nenhum cargo ou ter sido reeleito, o velho cacique segue exercendo sua influência na política e na negociata, a ponto de praticamente determinar quem entra ou quem sai nas principais nomeações do governo, como é o caso agora e como já foi mesmo durante os governos petistas.

Atualmente, o grupo político ligado a Sarney, ainda que não tenha o mesmo peso que antes, segue fazendo suas movimentações para se localizar melhor como aliado do governo. Ao consolidar seu poder de veto, demonstra sua força ora subterrânea no governo golpista de Temer.

Pedro Fernandes, nas palavras de Roberto Jefferson, teria dito que não tinha ressentimentos quanto ao caso e que vota junto com o partido pela aprovação da Reforma da Previdência. Um aliado do do PCdoB no Maranhão reafirma sua posição favorável à Reforma da Previdência, ou seja, mais uma demonstração da política de alianças de partidos como o PcdoB, que se diz contrário à Reforma da Previdência, mas na prática governa lado a lado com políticos golpistas que estão a favor dela.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Política

Comentários

Comentar